You are here

Transportes Públicos de Lisboa: Reflexões de um utente

Deixo aqui a minha opinião, baseada na minha experiência, sobre os transportes públicos de Lisboa e a falta de respeito da companhia pelo passageiro. Por João Baeta Neves.
Foto de Paulete Matos
Foto de Paulete Matos

Vivendo numa cidade como Lisboa oiço muitas queixas, justíssimas, de quem utiliza diariamente quer o metro quer os autocarros, queixas de que comparticipo e, nesse sentido, gostaria de deixar aqui a minha opinião baseada na minha experiência.

Em relação ao Metro:

a) os tempos de espera são demasiado longos às horas de ponta e até mesmo à noite isso também se verifica. (Por vezes, à noite e aos fins de semana desiste-se de ir de metro exatamente pelos tempos de espera daí haver menos passageiros).

b) em duas das linhas que conheço melhor reduzem a capacidade dos comboios que circulam apenas com 3 carruagens; na linha verde, por causa da estação de Arroios, que não comporta mais, o metro só utiliza 3 carruagens desperdiçando metade dos cais das restantes estações e viajando os utentes demasiado apertados quase sempre; na linha vermelha optam por essa solução aos fins de semana, quando a linha serve não apenas o aeroporto como o interface do Oriente com utentes carregados de malas, sobretudo nos fins de semana.

c) de realçar também o mau funcionamento das estruturas de apoio - elevadores e escadas rolantes - em quase todas as estações que os têm estão constantemente avariados, e alguns nem nunca funcionam! Considero que devia haver mais pessoal técnico especializado para corrigir as avarias e colocar as carruagens que os cais suportam. Também por excesso de economia chegam a fechar algumas das saídas à noite prejudicando quem usa essa estação e prefere usar a saída que está fechada.

Em relação aos autocarros:

a) em alguns, (muitos!) pontos da cidade os autocarros acabam demasiado cedo. À noite por volta das nove em muitos locais já não os há (testemunho - moro nas Olaias e à noite só posso utilizar o metro que não cobre a cidade toda e uma carreira de autocarro ),

b) têm acabado com muitas carreiras; na minha zona antigamente havia quatro carreiras de autocarro, só há 3 e já ouvi dizer que vão tirar mais

c) nas horas de ponta muitas vezes ao chegar à segunda paragem a partir da origem já vão demasiado cheios e ultrapassam certamente o máximo de lotação.

d) os painéis que indicam os tempos de espera são úteis mas ainda são muito poucos e avariam; frequentemente numa paragem não sabemos se vamos ter de esperar 5 minutos ou meia hora

e) além disso em muitas carreiras que conheço os tempos de espera são excessivos – 30 ou 40 minutos muitas vezes.

Como os bilhetes individuais são caríssimos e os passes sociais têm aumentado imenso considero que a atitude da administração da companhia revela uma grande falta de respeito pelos seus utentes. Soube que fizeram um inquérito de satisfação aos passageiros (embora não fosse claro como se podia participar, e o mais correto seria inquirir os passageiros ao vivo) e estou curioso de saber as respostas que obtiveram! Por outro lado, quer os trajetos quer os horários dos autocarros deviam ser analisados e estudados de acordo com as Juntas de Freguesia integrados no município de que façam parte porque elas conhecem melhor, e estão mais próximas dos seus habitantes e utilizadores. Como último ponto é de notar ainda que algumas freguesias oferecem aos seus habitantes carrinhas de transporte gratuito de certo para suprir as deficiências dos transportes coletivos, o que prova essas mesmas deficiências.

Texto de João Baeta Neves de Lisboa

Termos relacionados Comunidade
(...)