You are here

Trabalhadores da CP e da IP marcam protesto contra o congelamento dos salários e desvalorização profissional

Anos seguidos de congelamento dos salários motiva o protesto no próximo dia 16 de setembro, pelas 10 horas, junto à administração da CP e da residência oficial do primeiro-ministro.
Foto de Antero Pires via Flickr.
Foto de Antero Pires via Flickr.

As organizações representativas dos trabalhadores das empresas Comboios de Portugal e Infraestruturas de Portugal, decidiram realizar concentrações à porta da administração da CP e junto à residência oficial do primeiro-ministro, no próximo dia 16 de Setembro, com início às 10 horas.

“Após anos seguidos de congelamento dos salários, as poucas atualizações que se verificaram, foram insuficientes para reporem o valor real dos mesmos que nestes últimos anos não acompanharam o crescimento do Salário Mínimo Nacional”, pode ler-se no comunicado de convocatória.

“Devido a este facto e se não houver alteração desta situação, muitas das profissões nestas empresas com elevado nível de especialização, de responsabilidade e de exigências de conhecimentos, terão a curto prazo o salário mínimo nacional”, alertam.

Relembram ainda que “é necessário a admissão de trabalhadores que estão em falta nas diversas carreiras e categorias profissionais, começando por se admitir aqueles que hoje já estão nas empresas com vínculos precários”.

Reivindicam ainda estas organizações que na Infraestruturas de Portugal “se comecem a harmonizar as condições de trabalho entre os trabalhadores, cessando assim a discriminação existente.

Termos relacionados Sociedade
(...)