You are here

Timor Leste

GOVERNO AUSTRALIANO SATISFEITO
thumb_rhortaO governo australiano manifestou a sua satisfação pela nomeação de Ramos Horta para primeiro-ministro de Timor Leste, tendo um seu porta-voz afirmado que "a liderança política timorense está a começar a resolver os seus problemas" (DN de ontem).

Em artigo de opinião publicado hoje no jornal australiano The Age intitulado "A história que não nos contaram" ("East Timor: the story we weren't told" tradução no blog Timor online) o jornalista australiano John Martinkus afirma "os que tentaram encontrar oficiais de Timor-Leste para agir contra o governo parece que tiveram sucesso, mas ao custo da deslocação de 150 000 Timorenses".

John Martinkus, interrogando-se sobre quem começou a violência, afirma "Em qualquer outro país se um grupo de soldados dissidentes saíssem com as suas armas e depois lançassem dois assaltos às forças armadas, como os homens de Alfredo Reinado fizeram em Maio, seguramente teriam sido presos".

Ramos Horta em entrevista a Adelino Gomes para o jornal "Público, publicada ontem, diz "Pessoalmente desconheço se o major Reinado já foi ouvido", enquanto veladamente acusa Mari Alkatiri e incentiva a actuação do Procurador-geral contra o ex-primeiro ministro.

Como caracterizou Boaventura Sousa Santos (Timor: é só o começo)  Ramos Horta é "um político de ambições desmedidas, totalmente alinhado com a Austrália e os EUA".

A estratégia de Ramos Horta parece ser transformar o conflito político com Alkatiri numa acusação de crime e, assim, minar a força da Fretilin, pelo menos da sua actual direcção.

Termos relacionados Internacional