You are here

Tchetchénia: CHAMIL BASSAEV ABATIDO

BassaevAs forças federais russas terão assassinado ontem o comandante da guerrilha tchetchena, Chamil Bassaev. Nikolai Patruchev, director do Serviço Federal de Segurança (ex-KGB), comunicou ao Presidente Vladimir Putin que os seus agentes teriam liquidaram Bassaev numa “operação especial”.

Bassaev terá sido eliminado através de uma explosão provocada no camião em que os terroristas transportavam cerca de 100 quilos de trotil para a realização de um atentado na Ingúchia, república russa vizinha da Tchetchénia. Em comunicado, a guerrilha desta república do Cáucaso confirmou a morte Bassaev, mas garantiu que ela se deveu a uma explosão acidental.
Segundo a televisão russa, Bassaev e alguns dos seus homens estariam a carregar um camião de explosivos quando ocorreu a detonação. Pelo menos quatro homens morreram. A morte de Bassaev é considerada uma vitória para Vladimir Putin. «Este é o castigo que os bandidos mereceram pelas nossas crianças em Beslan e por todos os actos terroristas que perpetraram em Moscovo e noutras regiões da Rússia», declarou o Presidente Russo.
A morte de Bassaev acontece depois do assassinato do ex-Presidente Aslan Maskhadov, em 2005, e do seu substituto Khalim Sadulayev, no mês passado. Quando as forças russas foram forçadas a retirar-se da Tchétchénia, em 1996, Basayev concorreu à presidência, mas perdeu para Maskhadov, um separatista mais moderado. Basayev foi, em 1997, por um curto espaço de tempo, primeiro-ministro da auto-proclamada República Tchetchena Independente da Ichkeria.
Chamil Bassaev reivindicou várias acções terroristas, como a do hospital da cidade russa de Budionovsk, que causou 129 mortos e 415 feridos, a da escola de Beslan, onde morreram 331 pessoas, na sua maioria crianças, e a do Teatro Dubrovka, em Moscovo, que custou a vida a 129 reféns. Em Setembro de 2004 o Kremlin anunciou uma recompensa de dez milhões de dólares por informações que permitissem capturar ou matar Bassaev.
O conflito tchetcheno dura há mais de quinze anos e, para além dos atentados particularmente sangrentos de Bassaev, as incursões russas na pequena república têm provocado milhares de mortos.

Termos relacionados Internacional