Publicado livro inédito de João Martins Pereira

04 de December 2015 - 13:50

João Martins Pereira reuniu em 1980 textos escritos desde 1974, e preparou-os para edição. A editora recusou o projecto, que ficou perdido desde então, até que o Centro de Documentação 25 de Abril o concretizou num ebook.

PARTILHAR
João Martins Pereira

João Martins Pereira nasceu em 1932 e era engenheiro industrial, economista, jornalista, ensaísta e político. Publicou um livro que ficou célebre antes do 25 de Abril, “Pensar Portugal Hoje”. A seguir à Revolução, João Martins Pereira foi secretário de Estado da Indústria do 4º Governo provisório, com o ministro João Cravinho, e colaborou com a gestão das nacionalizações feitas pelo governo. Demitiu-se em divergência com a política do governo e a sua incapacidade de criar um novo impulso económico em resposta à crise desses anos. Publicou várias obras de referência para a análise da sociedade e da política portuguesa após esse período.

O livro agora publicado é uma coletânea de textos escritos entre 1974 e 1980, que nunca tinha sido editada. A coletânea inclui entrevistas feitas a João Martins Pereira, textos que escreveu para publicações estrangeiras, cartas abertas (a Melo Antunes e a Otelo Saraiva de Carvalho), textos inéditos e diversas publicações nacionais. As entrevistas publicadas foram feitas entre outubro de 1974 e 1979, e incluem uma entrevista conduzida por Nuno Crato, para a Voz do Povo. O livro pode ser lido na íntegra aqui.

Dos livros anteriormente publicados por João Martins Pereira, salientamos “O socialismo, a transição e o caso português”, “Indústria, ideologia e quotidiano” e, mais recentemente, “À esquerda do possível” (1993, editado com João Paulo Cotrim e Francisco Louçã). O seu último livro foi um contributo importante para a história da indústria portuguesa (“Para a História da indústria em Portugal”, 2005). Foi um dos convidados da Convenção fundadora do Bloco de Esquerda, em que fez uma das intervenções de fundo. Jean Paul Sartre uma das influências mais marcantes, a partir dele elaborou um marxismo heterodoxo, culto, informado de toda a dissidência e da radicalidade revolucionária do pensamento socialista. Propôs modelos e políticas da transição para o socialismo, e foi provavelmente o único marxista português a fazê-lo de modo consistente. João Martins Pereira faleceu em 2008, em Lisboa.