You are here

Preço das casas é o mais elevado desde que há registo

Entre janeiro e setembro de 2019 foram vendidas mais de 132 mil casas, com um valor médio que superou os 141 mil euros. É o valor mais elevado desde, pelo menos, 2009, ano em que começa esta série de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Em Lisboa, o custo da habitação é 35% mais caro.
Foto de Paulete Matos.

No terceiro trimestre deste ano, os preços da habitação voltaram a aumentar mais de 10% no terceiro trimestre de ano. Os aumentos têm sido ininterruptos desde o quarto trimestre de 2013, sendo que, desde o ano passado, registaram-se incrementos de dois dígitos em vários trimestres. Por outro lado, o número de casas vendidas está a diminuir está a cair. Foram transacionadas 45.830 habitações entre julho e setembro de 2019, o que representa um decréscimo de 0,2% face ao período homólogo. Esta tendência deve-se à diminuição do número de transações em Lisboa e no Norte, já que na zona Centro o número de vendas aumentou consideravelmente. Ainda assim, o valor total das habitações transacionadas subiu em 3% em comparação com o terceiro trimestre de 2018, ultrapassando os 6 mil milhões de euros.

Conforme sublinha o Negócios, e de acordo com os dados divulgados esta segunda-feira pelo INE, o valor médio de cada venda já ascende, entretanto, a mais de 140 mil euros, sendo o mais elevado desde, pelo menos, 2009, ano em que começa esta série de dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).  

Entre janeiro e setembro de 2019, foram vendidas 132.246 casas, por um valor global superior a 18,6 mil milhões de euros. Neste período, o valor médio de cada transação ultrapassou os 141 mil euros, o que implica uma subida de 4% face ao valor médio registado em 2018. As regiões de Lisboa e do Algarve continuam a apresentar os valores mais elevados do país. Na Área Metropolitana de Lisboa, o valor médio das vendas de casas fixa-se nos 190.700 euros, 35% acima da média nacional. No Algarve, o preço médio aumentou 12%, ascendendo agora a 187 mil euros. O Alentejo e o Centro continuam a registar os preços mais reduzidos, de 84 mil euros e 92 mil euros, respetivamente.

O peso do número de transações em Lisboa e Porto sobre o total nacional tem, no entanto, diminuído, com as regiões onde os preços são mais baixos a registarem maior procura. Até setembro, foram vendidas 45.799 casas em Lisboa por um valor total de 8,7 mil milhões de euros. O mesmo equivale a 46,8% do montante transacionado em todo o país, contra os 48,7% atingidos em 2018. No Algarve, foram transacionadas 10.793 casas, por um valor total de cerca de 2 mil milhões de euros, o equivalente a 10,8% do valor transacionado a nível nacional, contra os 11% registados no ano passado.

Termos relacionados Sociedade
(...)