You are here

Precários do Estado: novo atraso do relatório é "incompreensível”

O governo falhou pela terceira vez o prazo de apresentação do levantamento das situações de precariedade no Estado.
Vieira da Silva
O ministro Vieira da Silva já falhou três prazos para apresentar o relatório sobre a precariedade no Estado. Foto RTP/Flickr2

Depois de ter prometido divulgar o relatório no verão passado, o governo marcou novo prazo para outubro e depois para o final do ano. Mas 2017 já chegou e nada foi divulgado. Para a campanha Precários do Estado, que promove a petição “ninguém Fica para trás!”, “este novo atraso é incompreensível, até porque é público que o relatório está pronto”.

“Mais de seis meses depois, não se compreende o que atrasa o Governo, nem que acertos podem estar a ser feitos num documento que deve ser o espelho da realidade que se vive nos serviços”, diz o comunicado dos Precários do Estado, defendendo que o relatório “deve ser claro, deve constituir uma base sólida para identificar todas as situações de precariedade de quem está a assegurar funções permanentes no Estado, nos vários sectores e níveis da Administração, independentemente do tipo de vínculo”.

A campanha alerta ainda para a necessidade de transparência num processo que “está a gerar fortes e legítimas expectativas, depois de anos de vergonha, de incumprimento da lei, e de desrespeito pelo Estado dos direitos de quem trabalha para assegurar todos os dias os serviços públicos ao conjunto da população”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)