You are here

A poucos dias do fim do mandato, Obama decide perdoar Chelsea Manning

Nos dias finais do seu mandato presidencial, Barack Obama decidiu perdoar a totalidade da pena da antiga militar Chelsea Manning, responsável por divulgar milhares de documentos confidenciais à Wikileaks.

Segundo a Casa Branca, Manning será libertada a 17 de maio deste ano.

A militar transexual, que antes se chamava Bradley Manning, foi condenada em agosto de 2013 a 35 anos de prisão pelos mais de 700 mil documentos confidenciais que passou à organização liderada por Julian Assange.

No passado fim-de-semana a Wikileaks divulgou uma curta mensagem na rede social Twitter em que dava conta da disponibilidade de Assange em ser extraditado para os Estados Unidos da América caso Chelsea Manning fosse libertada.

“Se Obama perdoar Manning, Assange aceita a extradição para os Estados Unidos, apesar da flagrante inconstitucionalidade" do Departamento de Justiça norte-americano, lia-se na conta da organização fundada pelo australiano.

Julian Assange vive desde junho de 2012 na embaixada do Equador em Londres onde se refugiou para não ser extraditado para a Suécia.

Termos relacionados Internacional
(...)