You are here

Portugal é um dos países europeus com maior desigualdade salarial

Segundo o Eurostat, Polónia, Roménia, Chipre e Portugal eram, em 2014 na Europa, os quatro países com maior diferença entre os salários mais elevados e os salários mais baixos.
Cartaz com a frase "Carteira vazia" - Foto de Paulete Matos
Cartaz com a frase "Carteira vazia" - Foto de Paulete Matos

Portugal tem a maior desigualdade da UE entre salários mais altos e salário médio

Foi divulgado pelo Eurostat, nesta segunda-feira, um relatório que analisa as desigulaldades salariais nos países da União Europeia.
Para expor o problema, o Eurostat calcula a média dos 10% com salário mais alto (média do decil - 10% - mais elevado), e os 10% com salário mais baixo (média do decil mais baixo). Depois, calcula o valor médio de todos os salários e estabelece a comparação entre os três índices. Os dados são de 2014 e não existem dados disponíveis da Grécia e da Croácia.

Em Portugal, a média dos salários por hora do decil mais elevado é 2,8 vezes superior à média de todos os salários. Esse valor é o mais elevado de todos os países da União Europeia.

Um dos países com maior desigualdade salarial

Desigualdade salarial na União Europeia - comparação da média salarial do decil mais elevado com a do decil mais baixo
Desigualdade salarial na União Europeia - comparação da média salarial do decil mais elevado com a do decil mais baixo - Fonte Eurostat

Comparando a média salarial do decil mais elevado com a média do decil mais baixo (D9/D1), os salários mais elevados em Portugal são 4,3 vezes superiores aos da média do decil mais baixo.

Comparando os diferentes países, como se pode ver pelo gráfico abaixo - do Eurostat, verifica-se que a disparidade salarial é superior a 4 em 6 países: Polónia (4,7), Roménia (4,6), Chipre (4,5), Portugal (4,3), Bulgária (4,2) e Irlanda (4,1).

Termos relacionados Sociedade
(...)