You are here

Pingo Doce: lucro dispara e trabalhadores dos armazéns exigem aumento de salários

A Jerónimo Martins, dona do Pingo Doce, teve 186 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, um aumento de 79%. Os trabalhadores dos armazéns da empresa reivindicam um aumento de três euros por dia para todos os trabalhadores, sem discriminações.
Pingo Doce tem lucros milionários, trabalhadores dos armazéns lutam por aumento salarial de 3 euros por dia – Foto da CGTP
Pingo Doce tem lucros milionários, trabalhadores dos armazéns lutam por aumento salarial de 3 euros por dia – Foto da CGTP

Por aumento salarial de 90 euros mensais (3€/dia)

Segundo o sindicato CESP da CGTP, os trabalhadores dos armazéns da Jerónimo Martins reivindicam um aumento de salários e melhores condições de trabalho.

Trabalhadores e trabalhadoras dos armazéns querem que haja aumento de salários ainda este ano e reivindicam um aumento salarial de 90€ (3€/dia) para todos os trabalhadores sem discriminações e o aumento de subsídio de alimentação, cujo valor é de 5,40€ há muitos anos.

O CESP (Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal) salienta que a empresa tem lucros milionários, mas impõe estagnação salarial e desvalorização profissional.

Os trabalhadores dos armazéns apontam o problema da movimentação manual de cargas demasiados pesadas e reivindicam: a contratação de mais trabalhadores, até serem assegurados meios mecânicos, que evitem a movimentação manual de cargas; a análise de riscos na movimentação manual de cargas demasiado pesadas e a diminuição das paletes, pois a obrigatoriedade de montar paletes com dois metros de altura aumenta os riscos de acidentes de trabalho.

Os trabalhadores do armazém da Azambuja denunciam a existência de problemas, nomeadamente o pavimento interior em mau estado e exigem a resolução desses problemas através, por exemplo, de escadas provisórias de acesso ao refeitório. O CESP diz que vai pedir a intervenção da ACT, Autoridade para as condições de trabalho.

186 milhões de lucro no primeiro semestre de 2021

Segundo o “Jornal de Negócios”, a Jerónimo Martins teve no primeiro semestre de 2021 um lucro de 186 milhões de euros, o que significa uma subida dos lucros em 78,9%, em relação ao período homólogo de 2020. As vendas também aumentaram 6,3%, para 9,9 mil milhões de euros.

O grupo Jerónimo Martins refere ainda que o investimento foi de 200 milhões de euros, 60% dos quais alocados à Biedronka, a maior rede de supermercados da Polónia. A Biedronka registou um aumento de vendas para 7.000 milhões de euros, um aumento de 7% em relação a período homólogo de 2020.

A cadeia polaca Hebe teve um aumento de 7,3% para 123 milhões de euros.

O grupo diz ainda que, em Portugal, "o consumo manteve-se deprimido e impactado pela queda drástica da actividade turística". As vendas do Pingo Doce em Portugal aumentaram 4,6% para 1.900 milhões de euros, tendo aberto três lojas no semestre e renovado sete.

O Recheio teve vendas de 398 milhões, valor semelhante ao período homólogo de 2020.

Termos relacionados Sociedade
(...)