You are here

Petição quer afastar Trump do gatilho das armas nucleares

“Um tweet pode ser apagado, mas a devastação de uma ogiva nuclear não pode ser desfeita”, diz a petição que quer ver Obama cumprir promessa eleitoral de acabar com o estado de alerta dos mísseis nucleares.
Foto Wikimedia Commons.

Na sua campanha presidencial, Obama chamou-lhe um “resquício da guerra fria” e prometeu acabar com ele. Trata-se do estado de alerta máximo que permite ao inquilino da Casa Branca premir o gatilho nuclear e em poucos segundos enviar a destruição para o seu alvo. A promessa de Obama ficou por cumprir e é agora lembrada pela petição lançada pelo fundo Plougshares, que se dedica a financiar projetos pelo desarmamento nuclear.

O estado de alerta máximo das armas nucleares norte-americanas fez redobrar as preocupações dos peticionários após vários tweets do presidente eleito Donald Trump a abrir a porta ao uso de armas nucleares e a uma nova corrida ao armamento.  “Irá mesmo dar ordem para um ataque nuclear nos próximos quatro anos? Ninguém sabe. Mas se o fizer, ninguém o poderá impedir”, diz a petição.

Se Obama cumprisse a promessa eleitoral de retirar os mísseis nucleares do estado de alerta máximo, a capacidade de defesa dos EUA não ficaria comprometida, argumentam os peticionários. “Mas permitiria ganhar tempo para o presidente consultar o Congresso e outros líderes e para que cabeças mais frias prevalecessem”.

“Neste momento, o Presidente Trump poderia lançar 140 ogivas enquanto escreve 140 caracteres. A diferença é que um tweet pode ser apagado, mas a devastação de uma ogiva nuclear não pode ser desfeita”, afirma a petição.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)