You are here

Patrões confirmam: Despedir tornou-se mais fácil com a troika

Um estudo do BCE refere que 33% das empresas portuguesas dizem que, com os programas da troika, os despedimentos tornaram-se mais fáceis e, com eles, o abaixamento dos salários. Em Espanha e na Grécia, as empresas dizem o mesmo.
Os programas impostos pela troika tornaram mais fáceis os despedimentos e o abaixamento dos salários, confirmam os patrões
Os programas impostos pela troika tornaram mais fáceis os despedimentos e o abaixamento dos salários, confirmam os patrões - Foto de Paulete Matos

O “Diário de Notícias” desta quarta-feira, 3 de agosto de 2016, divulga as conclusões de um estudo do BCE, que confirma que o programa imposto pela troika tornou mais fácil despedir trabalhadores. Outro estudo do Banco de Portugal confirma o mesmo.

Também se tornou mais fácil fazer despedimentos coletivos e expulsar trabalhadores precários.

O aumento da facilidade em despedir foi acompanhado pelo congelamento e abaixamento dos salários.

“A proporção de empresas que congelaram salários de base aumentou de 25% em 2010 para quase 40% em 2013”, diz o economista Fernando Martins, do Banco de Portugal, segundo o DN.

A percentagem de empresas que cortaram salários nominais “aumentou de 1,9% para 3,9% em 2013”, segundo o mesmo economista.

Em Espanha e na Grécia, os patrões confirmam, em percentagem superior, o mesmo resultado das políticas da troika. 47% das empresas espanholas e 46% das gregas também dizem que despedir tornou-se mais fácil com as receitas da troika.

Termos relacionados Sociedade
(...)