You are here

Palestina: A cultura contra a ocupação

A luta pela liberdade do povo palestiniano está a ser objeto de uma mostra cultural que tem o título “Portugal-Palestina: Arte pela Liberdade” a decorrer entre 12 e 18 de Setembro, no Porto.
O Freedom Theatre utiliza a cultura para despertar consciências

Esta iniciativa é organizada pelo GUE/NGL, pela Transform! (Cultra), pelo Teatro do Bolhão e pelo Freedom Theatre e na opinião de José Soeiro, um dos organizadores e programadores da mostra tem logo à partida a "vantagem de trazer a Portugal o grupo teatral palestiniano que tem um longo historial de resistência cultural à ocupação de Israel".

“Este projeto nasce da vontade de trazer ao Porto este grupo e através do seu trabalho dar a conhecer a violência quotidiana exercida sobre os palestinianos pelas forças israelitas”, afirma José Soeiro.

Para a concretização desta iniciativa, Soeiro refere, ente outros, os nomes da eurodeputada do Bloco, Marisa Matias, do ator António Capelo e ainda de Micaela Miranda, actriz e encenadora portuguesa formada em Interpretação na ACE Escola de Artes que é diretora pedagógica do Freedom Theatre.

“Portugal-Palestina: Arte pela Liberdade”, aposta numa programação diversificada como o teatro, as artes plásticas e a apresentação do vídeo-instalação de Joana Vilaverde com o título  "3AM Birzeit December 2015” que foi criado a partir de uma residência artística que ela fez na Palestina.

José Soeiro destaca o conhecimento que Joana Villaverde tem da violência da ocupação se se tiver em conta que já esteve na Palestina várias vezes e por isso conhece o drama das pessoas que ali vivem.

“A Joana estava lá quando ocorreram os últimos bombardeamentos em Gaza pelas forças israelitas”, sublinha José Soeiro acrescentando ainda que "todos os filmes exibidos na mostra serão seguidos de debate visando uma maior participação das pessoas e também uma contextualização política sobre as questões que se levantam em torno da ocupação da Palestina".

José Soeiro sublinha ainda a presença de Nabil All-Raee que já esteve detido várias vezes, a última das quais em Julho de 2012 tendo sido libertado sem qualquer acusação.

“Nabil que é director do Freedom Theatre está agora livre e em Portugal trabalhando no intercâmbio com alunos de teatro no nosso país”, refere, qualificando esta ação como um "caminho de solidariedade" de todos aqueles que se identificam com a causa palestiniana.

Os caminhos da solidariedade

Em paralelo com esta mostra, há um barco que está a caminho da Palestina para romper com o cerco da ocupação.

“O barco leva ativistas que vão uma vez mais tentar ultrapassar o cerco levando mantimentos que são necessários para mitigar as necessidades daquele povo”, sublinha José Soeiro acrescentando, no entanto, que “ já foram feitas algumas viagens mas nunca foi possível entrar em Gaza”.

 O corresponsável deste evento salienta  o debate ter lugar no dia 16, sexta, que será dinamizado pela eurodeputada Marisa Matias e presidente da delegação do Parlamento europeu para as relações com os países do Maxereque - Líbano, Jordânia, Síria e Egito - e que contará com a presença de Nabil Al-Raee e Micaela Miranda, membros do Freedom Theatre, de Frederico Beja, realizador, Ivan Gonçalves, vice-presidente do grupo parlamentar de Amizade Portugal-Palestina e de Frank Barat, coordenador europeu da campanha BDS–Boicote/Desinvestimento/Sanções e membro do Tribunal Russel sobre a Palestina.

Esta mostra é no fundo a expressão da crença inabalável de um povo que não abdica de exigir a sua dignidade assente nos valores de uma cultura ancestral.

É a força da palavra contra a tirania de uma violência que não conhece limites, eis como de uma forma sintética poderemos definir a “Arte pela Liberdade”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Cultura
(...)