You are here

ONG alerta para 500 migrantes em perigo nas águas de Malta

A Alarm Phone explicou que o barco, oriundo da Líbia, teve problemas no motor, e que algumas pessoas estão doentes, não têm comida nem água. Já as 470 pessoas resgatadas pelos Médicos Sem Fronteiras continuam à espera, algumas delas há mais de uma semana, de um porto seguro.
Foto de Foto de Chris Grodotzki, via Seawatch.org / Flickr (arquivo).

Numa publicação no Twitter, a organização não governamental (ONG) Alarm Phone, uma linha direta de apoio às pessoas que atravessam o mar Mediterrâneo, exigiu às autoridades o resgate imediato destes migrantes: “500 pessoas em perigo na área da RAE de Malta! A Alarmphone recebeu uma chamada de um barco com mais de 500 pessoas que partiu de Tobruk na Líbia”.

“Eles têm problemas no motor, algumas pessoas estão doentes, não têm comida nem água. Alertamos as autoridades e exigimos uma operação de resgate imediata!” escreve a ONG.

O navio em dificuldades está atualmente localizado a leste de Malta, embora a proximidade atual não seja clara.

A Alarm Phone tem acusado repetidamente as autoridades maltesas e italianas de não agirem para salvar vidas no Mediterrâneo nos últimos anos.

470 pessoas à espera de um porto seguro

No mesmo dia, a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) denunciou que as 470 pessoas resgatadas pelo Geo Barents, no Mediterrâneo Central, continuam à espera, algumas delas há mais de uma semana, de um porto seguro para desembarcar.

Já foram emitidos vários pedidos de ajuda às autoridades italianas, sem qualquer sucesso.

Por sua vez, alguns dos 145 migrantes a bordo do Sea Watch, entre os quais 44 menores, e, desses, 37 não acompanhados, aguardaram cerca de duas semanas pela indicação de um porto seguro para atracar, que só chegou na noite desta segunda-feira.

 

Termos relacionados Internacional
(...)