You are here

“O que conta para a estabilidade do país é a estabilidade dos salários e das pensões”

Catarina Martins afirmou neste domingo que num período de campanha eleitoral é natural que os partidos mostrem as suas diferenças, salientou que “o país precisa de um governo que seja capaz de garantir trabalho digno”, realçando que é bom ter “a humildade de reconhecer o que foi feito em conjunto”.
Catarina Martins visitou a Agrival em Penafiel - foto de Paula Nunes
Catarina Martins visitou a Agrival em Penafiel - foto de Paula Nunes

Catarina Martins visitou neste domingo a Agrival – a 40.ª Feira Agrícola do Vale do Sousa, acompanhada por outras deputadas e deputados.

Nas suas declarações à comunicação social, lembrou ser natural que os partidos manifestem as diferenças que têm nos seus programas e reafirmou: “Os partidos ganham em respeitarem-se. Disse ontem e repito”.

“Eu acho que as pessoas compreendem que aquilo que conta verdadeiramente para a estabilidade dos países é a estabilidade do salário, é a estabilidade da pensão, do acesso à saúde, do que é essencial à vida concreta” afirmou Catarina Martins, realçando que “toda a gente sabe que o Bloco de Esquerda nunca faltou às soluções essenciais concretas para a vida das pessoas do nosso país e foi sempre fiel aos seus compromissos”.

Sobre o debate na campanha eleitoral, a coordenadora bloquista considerou que “o que é preciso debatermos é o que queremos para o país” e defendeu:

“O que o país precisa é de um governo que seja capaz de garantir trabalho digno, salário digno, pensões dignas. Responder pelos trabalhadores por turnos que ainda aguardam uma resposta, responder pela qualidade do SNS no acesso à saúde, responder por uma Segurança Social que respeite quem trabalhou toda uma vida e que não deixe ninguém para trás”.

“É por isso que o Bloco de Esquerda aqui está: para apresentar o seu programa, o seu compromisso e a sua garantia que estará sempre do lado de quem trabalha, do lado de quem constrói este país”, frisou ainda.

Abordando os últimos quatro anos da vida política em Portugal, Catarina Martins lembrou que “estávamos num país em que as pessoas viviam cada vez pior”, salientando que durante os últimos quatro anos “foi importante conseguirmos medidas que melhoraram o país” e destacou que “há mais emprego, o salário mínimo nacional aumentou, as pensões foram descongeladas, há manuais escolares gratuitos, os feriados que tinham sido roubados foram repostos, tantas medidas que foram tão importantes”.

“Nós no Bloco sabemos que o caminho destes quatro anos foi importante, orgulhamo-nos dele e temos a humildade de perceber que ele foi insuficiente e estamos nesta campanha para falarmos do nosso programa e das nossas diferenças com outros partidos, porque uma campanha também é isso. Mas, estamos sobretudo para debater e construir a forma de garantir salários dignos, pensões dignas, acesso à saúde, como melhorar a vida concreta das pessoas deste país”, concluiu a coordenadora bloquista.

Termos relacionados Legislativas 2019, Política
(...)