You are here

"O PR continua a ter um equívoco sobre a formação deste Governo"

Este é um "governo que se baseia num acordo para parar o empobrecimento do país” e a sua legitimidade assenta nas eleições de 4 de outubro, afirmou Catarina Martins, à saída da tomada de posse do governo.
Este é um "governo que se baseia num acordo para parar o empobrecimento do país” e a sua legitimidade assenta nas eleições de 4 de outubro, afirmou Catarina Martins - Foto de Hugo Delgado/Lusa

"O Presidente da República continua a ter um equívoco sobre a formação deste Governo", declarou Catarina Martins, referindo-se às declarações de Cavaco Silva, que disse esta quinta-feira na tomada de posse do governo que este saiu de uma crise, devido à demissão do governo de Passos Coelho e Paulo Portas.

Cavaco Silva "optou por fazer o país ter esse compasso de espera mas o Governo que é agora indigitado é o Governo que vem não de uma crise política mas sim de uma legitimidade das eleições de dia 4 de outubro, que representa a nova maioria da Assembleia da República e um acordo para parar o empobrecimento em Portugal", salientou a porta-voz do Bloco, segundo a agência Lusa.

Catarina Martins lembrou que quando o Presidente da República "decidiu indigitar Pedro Passos Coelho para formar um Governo já sabia que ele não teria maioria na Assembleia da República, já sabia que seria rejeitado".

"Há um novo Governo em Portugal, o Governo do PS baseado no acordo maioritário da Assembleia da República com outras forças, nomeadamente com o Bloco de Esquerda", sublinhou a deputada.

A porta-voz do Bloco salientou ainda que este é um "Governo que se baseia num acordo para parar o empobrecimento do país e um Governo cuja legitimidade vem das eleições do dia 4 de outubro".

"Este Governo é fruto do que os portugueses decidiram no dia 4 de outubro quando foram votar. Há uma nova maioria na Assembleia da República, há um novo governo para travar o empobrecimento em Portugal", realçou ainda.

Termos relacionados Política
(...)