You are here

“O Governo tem todo o apoio do Bloco para contestar o processo de sanções"

Catarina Martins reafirmou nesta terça-feira que o processo das sanções a Portugal é “ilegítimo” e realçou que “o governo deve utilizar todos os meios”, incluindo o recurso aos tribunais, contra o processo de sanções.
Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, acompanhada pelo deputado José Soeiro na visita à 39ª Feira de Artesanato de Vila do Conde, 26 de julho de 2016 – Foto de Fernando Veludo/Lusa
Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, acompanhada pelo deputado José Soeiro na visita à 39ª Feira de Artesanato de Vila do Conde, 26 de julho de 2016 – Foto de Fernando Veludo/Lusa

Nesta terça-feira, 26 de julho de 2016, a coordenadora do Bloco de Esquerda visitou, em Vila do Conde, a feira anual do artesanato. À margem da visita, falou à comunicação social sobre as sanções da Comissão Europeia (CE) a Portugal.

"Nós temos dito desde a primeira hora que devem ser utilizados todos os meios para contestar o processo das sanções, este é um processo ilegítimo. O Governo deve utilizar todos os meios, incluindo recorrer a tribunais, se achar que esse é o caminho. O Governo tem todo o apoio do Bloco de Esquerda para contestar o processo de sanções", afirmou Catarina Martins, segundo a Lusa.

Questionada sobre qual seria um bom resultado da reunião de quarta-feira que poderá decidir que multas serão aplicadas, a coordenadora do Bloco declarou: "Um bom resultado seria que a CE chegasse à conclusão de que as sanções são uma irresponsabilidade, que são ilegítimas e que não têm nenhum sentido. Se eu tenho esperança que a CE tenha essa sensatez e esse sentido de responsabilidade, confesso que não tenho muito".

"A CE está a decidir se aplica ou não uma multa a Portugal por causa do défice de 2015 e tem a ver com os processos de défice de 2013 e 2015, período em que houve um Governo de PSD/CDS que fez tudo o que a CE queria", realçou Catarina Martins, salientando que "tudo o que a CE queria deu um mau resultado" e apontando que por "esse mau resultado sofreram já as pessoas que vivem neste país".

A coordenadora do Bloco frisou também que é uma “mentira” que a aplicação de sanções faz parte das "regras" da União Europeia.

"Eu lembro que dos 28 países da União Europeia, já 24 estiveram em situações de incumprimento e nunca foi aberto processo de sanções sobre nenhum. Ninguém nos venha dizer que são as regras porque não são as regras. As regras não têm valido", sublinhou e concluiu:

"É mentira que isto sejam as regras".

Termos relacionados Nem sanções Nem chantagem, Política
(...)