You are here

Nunca nasceram tão poucos bebés como nos primeiros seis meses de 2021

Entre janeiro e junho, 37.675 bebés fizeram o “teste do pezinho” e este já é considerado o número mais baixo desde que há registos.
Recém-nascido. Foto de Márcio Okabe | Flickr
Recém-nascido. Foto de Márcio Okabe | Flickr

O Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA) realizou, entre janeiro e junho de 2021, 37.675 “testes do pezinho”, um processo que cobre quase a totalidade dos nascimentos em Portugal, segundo a TSF. Estes números são considerados os mais baixos desde que há registos, há mais de 30 anos.

Entre janeiro e junho de 2020, nasceram mais 4.474 bebés do que no mesmo período de 2021 e desde que o INSA divulga as informações mensais relativas ao “teste do pezinho”, só por duas vezes é que nasceram menos de 40 mil bebés, entre janeiro e junho dos anos 2013 e 2014.

Nos primeiros seis meses de 2021, quase metade dos bebés nasceram nos distritos de Lisboa (11.208) e Porto (7008), seguidos de Setúbal e Braga. Enquanto no polo oposto estão os distritos de Bragança e Portalegre com perto de 260 nascimentos.

Em termos percentuais, é o distrito da Guarda que mais desce com menos 27% dos nascimentos comparando com os seis primeiros meses de 2020.

A demógrafa Maria João Valente Rosa considera que estes números são um sinal de insegurança devido à pandemia que se vive no país e que levou muitas pessoas a adiar a parentalidade.

Para além disto, a demógrafa acredita que a saída de estrangeiros de Portugal também foi um fator importante para a redução de nascimentos, já que “têm tido um contributo extremamente importante para a natalidade”. No ano 2020, em perto de 13% dos nascimentos em Portugal, “as mães tinham nacionalidade estrangeira”.

 

Termos relacionados Sociedade
Comentários (2)