You are here

"Não trabalhámos para o maior aumento de impostos da democracia, ao contrário de Nuno Melo”

No debate de Marisa Matias com Nuno Melo, a eurodeputada do Bloco frisou que foi contra a política de cortes de pensões e brutal austeridade da troika, de PSD e CDS, ao contrário do eurodeputado do CDS.
Marisa Matias no debate na RTP3
Marisa Matias no debate na RTP3

No debate que teve lugar esta noite na RTP3 entre Marisa Matias e Nuno Melo, moderado por Cristina Esteves, a eurodeputada começou por agradecer à RTP “por ter incluído a Língua Gestual Portuguesa, o que faz deste um debate muito mais inclusivo”.

Marisa Matias, em contraposição a Nuno Melo, afirmou a sua defesa do SNS: “Eu defendo um SNS universal, que seja para responder às necessidades das pessoas. Por isso precisamos de uma lei de bases que recupere o SNS, tal como defenderam Arnaut e Semedo".

Falta fiscalização e transparência

Sobre a fiscalização e aplicação dos fundos europeus, a eurodeputada bloquista criticou a excessiva concentração, a falta de fiscalização e transparência. “Ao longo dos sucessivos governos desde a integração da UE, tem-se concentrado a aplicação dos fundos nas áreas de Lisboa e do Porto. Não temos nem fiscalização nem transparência e isso é transversal aos governos do PS, PSD e CDS", disse. Criticou também a falta de investimento por parte do atual Governo, apontando a necessidade de aumentar o investimento e de "investir num modelo de desenvolvimento que seja inclusivo e promova o emprego”.

“Temos de potenciar estes fundos para investir naquilo que realmente nos faz falta, a reconstrução de um Estado social", salientou.

"Nós temos nas nossas mãos [no Parlamento Europeu] a possibilidade de votar várias decisões que se aplicam à nossa vida. Invariavelmente há propostas para cortar investimento e flexibilizar direitos laborais. Invariavelmente, o CDS vota contra os interesses do país e dos portugueses", acusou Marisa Matias.

Não vivemos uma crise de refugiados, vivemos uma crise humanitária"

Sobre refugiados, imigração e emigração, a eurodeputada bloquista sublinhou: "Gostava de dizer que não vivemos uma crise de refugiados, vivemos uma crise humanitária".

E considerou que a crise “resultou de uma hipocrisia total da União Europeia, que continua a vender armas para países em guerra".

A eurodeputada alertou também que "os emigrantes portugueses na Europa estão a sofrer todos os dias” com a política que Nuno Melo defende. Lembrou, a propósito, que tentou ajudar os emigrantes portugueses que eram para ser expulsos no Luxemburgo.

A eurodeputada criticou o deputado CDS por defender o Vox. "Nuno Melo defende o Vox, partido de extrema-direita que propõe revogar toda a legislação de proteção da violência doméstica”.

Marisa Matias disse ainda: “como tem pouco para apresentar, Nuno Melo não gosta de falar de política europeia", mas deu alguns exemplos do trabalho do Bloco no Parlamento Europeu:” o regulamento de apoio aos desempregados vítimas de deslocalização. O último desse apoio foi às trabalhadoras da Triumph”.

 

Termos relacionados Europeias 2019, Política
(...)