You are here

Municípios abastecidos pela EPAL querem que empresa reduza tarifa da água

Os municípios da AMEGA, abastecidos pela EPAL, queixam-se do aumento do valor cobrado aos municípios e querem que a empresa reduza as tarifas da água, para aumentarem a capacidade investimento nas redes de distribuição.
Água - Foto de Paulete Matos
Água - Foto de Paulete Matos

A Associação de Municípios de Estudos e Gestão de Água (AMEGA) realizou um seminário em Loures, sobre custos e eficiência da distribuição de água, no qual foi defendida a baixa das tarifas, segundo noticia a agência Lusa. A AMEGA foi constituída em 1994 e integra os seguintes 19 municípios: Alcanena, Alenquer, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Cascais, Constância, Entroncamento, Loures, Mafra, Odivelas, Oeiras, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Tomar, Torres Novas, Torres Vedras, Vila Franca de Xira e Vila Nova da Barquinha.

Segundo António Pombinho, presidente do conselho diretivo da AMEGA, os municípios que a compõem têm tido mais dificuldade em investir na renovação das redes e das condutas de água devido ao “elevado tarifário praticado pela empresa.

“A situação, que não era adequada, agravou-se nos últimos anos. Houve um aumento de 15% do valor que é cobrado aos municípios. Isso coloca duas alternativas. Ou os municípios aumentam o preço da água aos consumidores ou acomodam esses aumentos e reduzem a capacidade para realizar investimentos”, apontou António Pombinho.

No seminário foi divulgado um estudo elaborado pelo Instituto Superior Técnico, no qual são analisados a eficiência dos sistemas de abastecimento e os custos suportadores pelos consumidores.

“A EPAL apresenta anualmente lucros de 50 milhões de euros. Uma redução tarifária ira reduzir o lucro, mas não poria em causa a sua sustentabilidade financeira”, sustentou o presidente da AMEGA, referindo que o estudo demonstrou que há margem para a EPAL baixar as tarifas conradas aos municípios.

Termos relacionados Sociedade
(...)