You are here

Multinacionais entregam dividendos recorde aos acionistas

No primeiro trimestre do ano, as 1.200 maiores empresas distribuíram mais de 280 mil milhões de euros pelos seus acionistas, um novo recorde mundial.
O conglomerado minieiro anglo-australiano BHP será o recordista de dividendos pagos aos acionistas pelo segundo ano consecutivo. Foto Bahnfrend/Wikimedia Commons

Um estudo da gestora de ativos Janus Henderson, citado pelo portal Eco, dá conta de um novo recorde mundial na distribuição de dividendos pelas 1.200 empresas com maior capitalização bolsista do planeta, uma subida de 11% face ao período homólogo do ano passado. Aproveitando a recuperação económica do pós-pandemia e a subida dos lucros em particular no setor extrativo e petrolífero, 94% das multinacionais aumentaram os seus dividendos ou mantiveram-nos, uma percentagem que sobe para os 99% no caso dos Estados Unidos.

Este valor recorde de dividendos no primeiro trimestre ocorre depois de 2021 já ter sido um ano com valores recorde, apesar de o montante de dividendos ter caído no primeiro trimestre e ao longo do ano de 2020. Contas feitas, "os pagamentos mais do que duplicaram" em relação a 2009, ano que a Janus Henderson começou a contabilizá-los.

Os efeitos da pandemia não foram adversos para todos os setores. Na Dinamarca, por exemplo, o dividendo anual do grupo marítimo Moller-Maersk foi oito vezes superior, por ter beneficiado com a perturbação das cadeias de abastecimento mundiais, refere o estudo. À frente da lista das empresas que mais dividendos distribuem prevê-se que esteja pelo segundo ano consecutivo o conglomerado ineiro anglo-australiano BHP.

Termos relacionados Internacional
(...)