You are here

Mulheres denunciam situações de assédio sexual

Em meados de abril, a atriz Sofia Arruda denunciou ter ficado sem trabalho por ter rejeitado propostas de cariz sexual. Na sequência desta entrevista, várias outras situações têm vindo a ser denunciadas, por Catarina Furtado, Bárbara Norton de Matos, Inês Simões, Joana Emídio Marques ou Carolina Deslandes.
Mulheres denunciam situações de assédio sexual. Fotografia: CIG

Em entrevista ao programa Alta Definição, da SIC, a atriz Sofia Arruda afirmou que ficou sem trabalho durante cerca de sete anos por ter rejeitado propostas de cariz sexual, efetuadas por “uma pessoa com muito poder numa estação de televisão, de uma produtora”. 

Nos últimos dias, várias outras mulheres têm vindo a público denunciar também situações se abuso sexual. Catarina Furtado já havia dado nota de uma situação de assédio, em 2018, no Podcast “Cada Um Sabe de Si”, com Diogo Beja e Joana Azevedo. Agora, em entrevista ao Expresso, a atriz e apresentadora revelou mais informações sobre as situações que viveu, referindo ter sido assediada por três homens.

“Fui alvo de assédio sexual em diferentes situações, por parte de três pessoas com cargos hierárquicos superiores a mim, no início da minha carreira. Uns fizeram-me convites insinuantes, óbvios, que não davam margem para eu ter dúvidas do que era pretendido, outros eram mais rebuscados. Mas percebia-se completamente as suas intenções. Não havia margem para dúvidas. Eu sei distinguir piropos inconsequentes de intenções do foro sexual”, afirmou Catarina Furtado, acrescentando que “isto tudo é fruto de uma terrível desigualdade de género que ainda predomina na sociedade, em que o homem é machista, controlador e em que algumas mulheres ainda dizem ‘está bem, mas puseste-te a jeito’. São mulheres que, na verdade, ainda não fizeram uma reflexão profunda sobre o tema e que também são vítimas deste patriarcado.”

A atriz Bárbara Norton de Matos afirmou ter sido vítima de assédio sexual, quando tinha “entre 21 a 26 anos e aconteceu-me mais do que uma vez.”

Também Inês Simões declarou ter sido alvo de assédio sexual enquanto foi atriz, estando agora a trabalhar noutra área profissional. Comentando a publicação de Sofia Arruda, Inês Simões afirmou “Sei bem o que é isso porque também me aconteceu. Acredito que aconteça ainda com frequência com muitas atrizes e atores. Efetivamente nunca mais trabalhei em TV mas criei outros projetos e mantive a minha dignidade e consciência tranquila”.  

Entretanto, numa publicação no Facebook, a jornalista Joana Emídio Marques declarou ter sido alvo de assédio sexual por parte de um ex-diretor de uma editora. 

Carolina Deslandes revelou, em entrevista à Sábado, ter sido alvo de assédio por parte de um promotor de um espetáculo, que terá tentando entrar à força no seu quarto. A cantora referiu que “não disse nada por vergonha, pensei que não queria levantar problemas. Imaginei que ele tivesse mulher e filhos, não queria causar desconforto à família” acrescentando que "uns anos depois, ele teve um problema com uma menor. Só pensei: ‘porque é que eu não disse?'"

Termos relacionados Sociedade
(...)