You are here

Moçambique: 48 mil pessoas morrem de VIH/Sida por ano

Esta sexta-feira assinala-se o Dia Mundial de Combate contra a Sida. Em Moçambique há 2,4 milhões de pessoas que vivem com o vírus de imunodeficiência adquirida e mais 97 mil são infetadas a cada ano.
Imagem da campanha do Ministério da Saúde de Moçambique.

1 de dezembro é o Dia Mundial de Combate contra a Sida. Na sessão que assinalou a data, o ministro da Saúde de Moçambique, Armindo Tiago, apresentou as estimativas relativas ao ano passado no país.

Segundo as autoridades moçambicanas, a cada ano, pelo menos 48 mil pessoas morrem por causa do VIH/Sida, 97 mil são infetadas também anualmente. O total de pessoas que vivem com vírus neste país são 2,4 milhões. 94% são maiores de 15 anos. E uma maioria têm entre esta idade e 29 anos. A taxa de transmissão vertical é de 10%.

Dos estudos realizados, resulta que 88% das pessoas conheciam o seu estado. O que contrasta com o que se passava há uma década. Em 2010, essa percentagem era apenas de 36%.

Segundo a agência Lusa, o governante sublinhou que estes números “não são apenas estatísticas, eles representam dor, sofrimento, mas sobretudo perda dos nossos concidadãos”. Acrescentou que “o Programa de Combate ao Sida de Moçambique é o segundo em termos de pessoas em tratamento a nível mundial”, havendo atualmente de acordo com o Ministério da Saúde perto de dois milhões de pessoas em tratamento antirretroviral, disponível em 96% das unidades de saúde do país. Este tipo de tratamento terá, segundo ele, nos últimos 22 anos, evitado a morte de perto de um milhão de pessoas e evitado a transmissão vertical da doença a 330 mil crianças.

Na sua intervenção, o governante disse ainda que “o sonho” seria “tornar o VIH uma doença normal”, sendo a atual situação ainda que testa positivo”fica escondido”.

Termos relacionados Moçambique, Saúde, Sida
(...)