You are here

Mina de Retortilho: Conselho de Segurança Nuclear espanhol dá parecer negativo

O chumbo à exploração mineira que se pretende instalar junto à fronteira portuguesa deve-se à “baixa fiabilidade e nas elevadas incertezas das análises de segurança da instalação radioativa em relação aos aspetos geotécnicos e hidrogeológicos”.
Foto de Maky Morsa | Flickr

O Conselho de Segurança Nuclear (CSN) espanhol deu esta segunda-feira um parecer negativo ao pedido de autorização para a construção da fábrica de concentrados de urânio em Retortilho, na província espanhola de Salamanca, muito próxima da fronteira com Portugal, na zona de Vilar Formoso, segundo a Lusa.

O motivo para dar um parecer “desfavorável” ao pedido da empresa Berkeley Minera Espanha deve-se à “baixa fiabilidade e nas elevadas incertezas das análises de segurança da instalação radioativa em relação aos aspetos geotécnicos e hidrogeológicos”.

O parecer técnico será agora submetido ao Ministério da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico espanhol, que irá decidir sobre esta matéria.

A Berkeley Energy estava a cair mais de 12% na bolsa de Madrid, logo após a decisão do CSN se ter tornado pública.

Em 2015, a empresa obteve uma autorização para uma instalação radioativa de primeira categoria do ciclo do combustível, válida até setembro do ano passado. No entanto, a decisão final estava pendente da decisão do CSN, que revelou ter sofrido pressões por parte da Berkeley e por membros do governo regional de Castela e Leão para tomar uma decisão favorável.

Ambientalistas portugueses e espanhóis, tal como o Bloco de Esquerda, têm-se manifestado contra a instalação da mina de urânio em Retortilho, perto da fronteira portuguesa, a norte de Vilar Formoso.

Termos relacionados Ambiente
(...)