You are here

Migrantes: associações denunciam violência policial em Calais

Quatro associações de ajuda aos migrantes publicaram esta quarta-feira um relatório em que denunciam atos contínuos de violência policial praticados contra os migrantes que tentam entrar em Inglaterra.
Foto de Napafloma-Photographe/Flickr

No final de 2016, a chamada “selva”, o acampamento onde se concentravam migrantes em Calais, foi desmantelada à força. Desde então a prática policial tem sido de confiscar tendas e bens pessoais e os episódios de violência e as humilhações de migrantes têm sido quotidianos. E também os voluntários das associações de apoio aos migrantes têm sido alvos.

As denúncias sobre estes casos foram compiladas pelas associações l’Auberge des migrants, Refugee Info Bus, Cabane juridique e Utopia 56. Ao longo de um ano, segundo estas associações, foram registadas 393 operações de expulsão de acampamentos e 244 atos de violência policial, dos quais 153 envolveram o uso de gás lacrimogéneo. 90,09% dos migrantes ouvidos por estas associações foram expostos ao gás lacrimogéneo.

Segundo estas associações “em Calais, o uso da força não é nem proporcional nem necessário, a manutenção da ordem tornou-se o pretexto para justificar todas as práticas abusivas. Pior, as práticas violentas banalizam-se.”

Termos relacionados Internacional
(...)