You are here

Marrocos expulsa jornalista do Sahara Ocidental

Os serviços secretos marroquinos expulsaram o jornalista catalão Bernard Millet do Sahara Ocidental quando este se preparava para fazer uma reportagem sobre os territórios ocupados.
O jornalista catalão, Bernard Millet. Foto do site A voz do Sahara
O jornalista catalão, Bernard Millet. Foto do site A voz do Sahara

Bernard Millet, fotógrafo e jornalista catalão viajou para El Aaiun, a capital do Sahara ocidental, para fazer uma reportagem sobre o povo saharaui, com um grupo de jornalistas locais pertencentes ao site de informação Equipe Media.

No dia 7 de fevereiro, Bernard Millet apanhou um autocarro em Marraquexe com destino a El Aaiun e um dia depois entrou em contato com Ahmed Ettanji, presidente daquele site de informação tendo depois seguido para casa deste.

Detenções, insultos e expulsões

Como é habitual quando um estrangeiro entra no Sahara Ocidental, as autoridades marroquinas seguiram os seus passos e quando se aperceberam que este estava em casa do ativista saharaui, montaram um esquema de vigilância à sua residência.

Cerca da uma da manhã de 9 de fevereiro, os ativistas saharauis que naquele momento se encontravam na rua foram intercetados pelas autoridades policiais que usaram a intimidação acabando por deter quatro elementos – Ahmed Ettanji, Brahim Laajil, Mohamed Saleh Zarouali e Bachar Mohamed - pertencentes ao Equipe Media.


O presidente do Equipe Media, Ahmaed Ettanji
 

Durante a sua detenção, o jornalista Bernard Millet foi longamente interrogado e posteriormente obrigado a apagar todas as fotografias que já tinha tirado. O telemóvel também lhe foi retirado. Disseram-lhe que o seu amigo Ahmaed Ettanji era um “traidor” e “separatista”.

Millet acabou por ser expulso do Sahara Ocidental e levado para a cidade marroquina de Agadir.

O presidente do Equipe Media, já condenou a situação tendo afirmado que "Marrocos não hesita em expulsar os jornalistas estrangeiros que pretendem dar a conhecer a realidade existente no Sahara Ocidental".

“A violação dos direitos humanos e a tentativa de impor um bloqueio à liberdade de expressão são algumas das formas que Marrocos usa para exercer repressão sobre os cidadãos Saharauis”, afirmou Ettanji que "apela a todas as organizações, para denunciarem estas práticas seguidas pela monarquia marroquina e, desta forma, forçar o regime alauita a respeitar as convenções internacionais sobre a proteção dos jornalista".

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
Comentários (1)