You are here

Marisa diz que o país não pode esperar indefinidamente por Cavaco

A candidata apoiada pelo Bloco voltou este sábado a criticar as prioridades de Cavaco Silva, acusando-o de desrespeitar a vontade popular, e comparando ironicamente esta situação com “uma versão surrealista ou muito moderna da Branca de Neve e dos Sete Anões".
Foto de Paulete Matos

Marisa Matias esteve este sábado no mega magusto em Santo António dos Cavaleiros, concelho de Loures, onde destacou a necessidade de Portugal ter “uma presidente à altura do momento que o país está a viver” e “que seja capaz de responder à esperança que nasceu dia 4 de outubro.”

"É absolutamente lamentável que os cinco milhões de cidadãos que votaram no dia 04 de outubro tenham de esperar que o Presidente ouça primeiro sete banqueiros, e não digo isto apenas por uma questão de prioridades do Presidente, é mesmo por uma questão de total falta de respeito pela democracia", acusou a candidata a Presidente da República.

Quanto ao facto de Marcelo Rebelo de Sousa insistir na independência da sua candidatura e face apoio manifestado por Pedro Passos Coelho ao comentador, Marisa avisou “entendam-se, porque nós já entendemos tudo”.

O mega-magusto contou ainda com a porta-voz do Bloco de Esquerda Catarina Martins, que comentou a venda da TAP e a sobretaxa do IRS, e do dirigente e deputado bloquista Jorge Costa.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Marisa 2016, Política
(...)