Maquinistas do Metro em greve na próxima semana

03 de December 2015 - 0:06

Os maquinistas do Metro de Lisboa vão estar em greve parcial entre quarta e sexta-feira da próxima semana devido a um conjunto de alterações que representam um ataque aos direitos dos trabalhadores e a degradação da qualidade do serviço prestado aos utentes.

PARTILHAR
Greve do Metro visa também salvaguardar a qualidade dos serviços prestados aos utentes. Foto de Paulete Matos

A paralisação será de três horas no início do primeiro turno de trabalho, disse Anabela Carvalheira da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

A sindicalista afirmou ainda que a greve “resulta de um quadro político anterior de provocação aos maquinistas da empresa sublinhando ainda que os trabalhadores estão fazer tudo para ultrapassar esta situação.”

Desta forma, a FECTRANS solicitou esta terça-feira uma reunião urgente ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, para debater a situação na empresa.

Por isso, e antes da paralisação, haverá um plenário dos maquinistas onde a suspensão da greve poderá vir ser discutida.

A estrutura sindical que representa os trabalhadores do Metropolitano faz questão de sublinhar que “a greve está marcada há mais de 15 dias garantindo ao mesmo tempo que se o atual governo não revelar disponibilidade para discutir as reivindicações dos trabalhadores poderão ser marcadas novas paralisações”.

Em declarações à Lusa, o sindicalista, José Manuel Oliveira foi claro ao afirmar : “ a solução é simples: cumpre-se o Acordo de Empresa (AE) e as greves são anuladas”.

Entre os motivos que estão na base desta greve, contam-se as férias atribuídas sob critérios impostos aos trabalhadores e os abusos relacionados com a organização do trabalho que obriga os maquinistas a fazer mais horas, o que tem como consequência a redução da qualidade de serviços aos utentes.

Refira-se ainda  que a administração da empresa tem recusado de forma sistemática o diálogo com os representantes dos trabalhadores.