You are here

Manuel Pinho exige reforma de 7,5 milhões de euros. Tribunal nega

O ex-administrador do Banco Espírito Santo exigiu, em tribunal, direito a pensão de reforma no valor de 7,5 milhões de euros e uma pensão vitalícia mensal de 21 500 euros.
Manuel Pinho no debate do Estado da Nação, em 2009, na Assembleia da República, quando era ministro de José Sócrates.

O ex-ministro da Economia, Manuel Pinho, perdeu uma ação em tribunal contra o Fundo de Pensões do BES e o Novo Banco, avança esta quarta-feira a TVI.

O ex-administrador do Banco Espírito Santo (BES) exigiu, em tribunal, direito a pensão de reforma no valor de 7,5 milhões de euros e uma pensão vitalícia mensal de 21 500 euros.

Manuel Pinho fundamentou as suas reivindicações através da existência de um acordo que firmou com Ricardo Salgado, ex-Presidente do BES. As condições e os contornos desta reforma antecipada estariam a ser negociados com Salgado meses antes do colapso do grupo BES.

Segundo Pinho, Salgado ter-se-ia comprometido em dar-lhe acesso à reforma aos 55 anos e com uma reforma idêntica ao salário.

O processo, da responsabilidade da comarca de Lisboa da Instância Central, o ex-ministro de José Sócrates diz ser “portador de uma missiva subscrita por Salgado”, mas o tribunal teve um entendimento diferente, dando o facto como não provado.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)