You are here

Mais de 34 mil queixas sobre comissões MB Way

A associação Deco lançou uma campanha contra a cobrança de comissões sobre transferências MB Way, tendo já recolhido 34.501 reclamações a registar no site do Banco de Portugal.
Mais de 34 mil queixas sobre comissões MB Way
Foto de Paulete Matos.

A associação de defesa do consumidor Deco lançou uma campanha contra a cobrança pela banca de comissões sobre as transferências feitas através do serviço MB Way. Na apresentação da campanha no seu site, a associação explica que irá "enviar uma reclamação ao BdP em nome de cada consumidor que se registar na ação. A reclamação será preenchida no ‘site’ do BdP, pois é a melhor forma de o regulador perceber o impacto que a desproporção causa junto de cada consumidor".

O envio individual de cada uma das reclamações tem por objetivo “pressionar” o Banco de Portugal a agir face a comissões que a associação considera "absolutamente desproporcionadas em relação ao serviço prestado e com aumentos completamente desajustados", de "600% num ano em que a inflação foi de apenas 1%".

"O consumidor poderá pagar até 1,20 euros para transferir qualquer montante, seja dois ou 10 euros, seja 750 euros (limite máximo permitido pela aplicação)", denuncia a associação. A Lusa noticia que a Deco procura, com esta campanha de reclamações, que o Banco de Portugal limite as comissões e afirme a sua desproporcionalidade e má-fé.

"Não aceitamos que o Banco de Portugal (BdP) afaste responsabilidades pelo facto de a lei não explicitar que determinada comissão é elevada. Há princípios defendidos pelo BdP, como a proporcionalidade, transparência e lealdade na cobrança de comissões, que estão a ser esquecidos pelo regulador na avaliação deste caso", denuncia a associação.

A Deco afirma ainda estar disposta, caso o regulador continue “de braços cruzados", solicitar reuniões com os partidos políticos com assento parlamentar para discutir formas de resolução deste problema, que diz afetar cada vez mais consumidores.

A Caixa Geral de Depósitos começou a cobrar as transações através do serviço MB Way a 25 de janeiro. O banco público tem a terceira comissão mais elevada: 0,85 cêntimos por transferência. O BPI e o Millennium BCP já cobravam 1,20 euros, o Santander 0,90 cêntimos e o Crédito Agrícola uma comissão de 0,25 cêntimos independentemente do valor transferido.

"Como justificar que uma simples transferência de 10 euros custe 0,85 cêntimos, ou seja, pague 8,5% de comissão?", questiona a Deco, que "exige do Banco de Portugal "uma comissão máxima de 0,2% por transferência".

Termos relacionados Sociedade
(...)