You are here

Londres: Maior manifestação anti-nuclear desde 1983

Dezenas de milhares de pessoas manifestaram-se neste sábado em Londres contra o programa britânico de armas nucleares Trident. A marcha foi convocada pela Campaign for Nuclear Disarmament (CND) e nela participou Jeremy Corbyn.

Segundo o jornal “The Guardian”, a marcha Stop Trident, que se realizou neste sábado, constituiu a maior manifestação no Reino Unido contra as armas nucleares, desde 1983, quando 300 mil pessoas se juntaram em Hyde Park para protestar contra a instalação de mísseis Cruzeiro em Greenham Common, Berkshire.

Jeremy Corbyn, o atual líder do Partido Trabalhista, que é filiado na Campaign for Nuclear Disarmament (CND) desde os 16 anos de idade, participou na marcha e interveio. Também participaram no protesto a líder do Partido Nacional Escocês (SNP), Nicola Sturgeon, a líder do partido galês Plaid Cymru, Leanne Wood, e a líder do partido Verdes, Natalie Bennett.

Nos cartazes empunhados pelas pessoas podiam ler-se frases como “Books Not Bombs” (“Livros Não Bombas”), “Cut War Not Welfare” (“Cortes na Guerra Não no Estado Social”), “NHS Not Trident” (“SNS não Trident”), “Climate not Trident” (“Clima não Trident”) e “United against Trident” (“Unidade contra o Trident”).

O Trident é o programa britânico de desenvolvimento de armas nucleares em submarinos e a CND lançou a campanha “Stop Trident: 2016 tempo de decisão”.

Tradicionalmente o Partido Trabalhista tem sido a favor das armas nucleares no Reino Unido, mas Jeremy Corbyn é um conhecido ativista contra as armas nucleares e, na sua intervenção, fez questão de afirmar que foi eleito líder do Partido Trabalhista, com um manifesto em que a rejeição do Trident era “uma componente essencial”.

Na marcha participaram destacadas figuras da cultura e do ativismo pela paz, como a atriz Vanessa Redgrave, Rou Reynolds da banda de rock Enter Shikari, a comediante Francesca Martinez, o padre Giles Fraser e o escritor Tariq Ali.

Termos relacionados Internacional
(...)