You are here

Leonard Cohen (1934-2016)

Leonard Cohen morreu esta quinta-feira, em Los Angeles, um mês depois de ter lançado o 14º trabalho da sua carreira intitulado You Want It Darker.
Leonard Choen morreu esta quinta-feira aos 82 anos. Foto Stereogum
Leonard Choen morreu esta quinta-feira aos 82 anos. Foto Stereogum

A morte do músico e poeta canadiano, de 82 anos, foi anunciada na sua página oficial do Facebook onde se pode ler: “É com profunda tristeza que noticiamos que o lendário poeta, compositor e artista Leonard Cohen morreu”.

A nota acrescenta ainda que “perdemos um dos visionários mais prolíficos e reverenciados da música".

Leonard Cohen nasceu em Montreal, no Canadá, a 21 de setembro de 1934 numa família de origem judaica e a sua infância foi abalada pela morte do pai que aconteceu quando ele tinha apenas nove anos. Estudou inglês na Universidade de McGill e cedo se apaixonou pela poesia de García Lorca e fez a sua estreia na poesia aos 22 anos com Let Us Compare Mythologies (1956), o primeira de mais de uma dezena de livros.

Mas não foi só na poesia que se destacou. Em 1963 lançou O Jogo Favorito, o seu primeiro romance.

Vencidos da Vida surgiu em 1966 e foi escrito na ilha grega de Hydra, onde viveu alguns meses. Foi lá que conheceu Marianne Ihlen, a musa e amante que faleceu em julho deste ano e que inspirou o tema So Long, Marianne.

Depois de ter ido viver para Nova Iorque passou a dedicar-se inteiramente à música, tendo editado o primeiro álbum em 1967 a que deu o nome Songs of Leonard.

Editou mais 13 álbuns até se ter decidido pelo isolamento num mosteiro budista na Califórnia tendo reaparecido apenas em 2004.

Na história da sua discografia importa destacar, entre outros, os trabalhos Hallelujah, Suzanne, So Long, Marianne, I'm Your Man, First We Take Manhattan ou Dance Me To The End of Love.

No final de outubro, Cohen lançou o álbum You Want It Darker e, numa entrevista à revista New Yorker, dizia que estava pronto para morrer.

No entanto, e fazendo uso de uma postura desconcertante que foi cultivando ao longo da vida, afirmou algum tempo depois na apresentação do álbum que “estava a exagerar” e acrescentou: “tenciono viver para sempre".

Reedição de Poemas e Canções

Entretanto, o responsável da editora Relógio d'Água, Francisco Vale, disse à Lusa que irá editar em 2017 uma nova edição, aumentada, da antologia de Cohen "Poemas e canções”.

A Relógio d'Água editou na década de 90 o segundo romance de Cohen, com o título Belos Vencidos, tendo traduzido, com Margarida Vale de Gato, a antologia de poemas e canções que conta agora reeditar, ampliada.

"Os romances são um pouco datados, mas os poemas não. O Leonard Cohen foi um poeta que depois escreveu canções. Esse salto da poesia para a canção aconteceu quando se mudou para Hydra [ilha grega]. (...) Tem um tom bastante coloquial e intimista, fala sobretudo sobre o amor, a intimidade amorosa, algumas vezes sobre as implicações sociais. Gostei de o traduzir", sublinhou Francisco Vale.

 

Leonard Cohen - So Long, Marianne

Termos relacionados Cultura
(...)