You are here

Itália pode abandonar zona euro nos próximos meses

Wolfgang Münchau, influente editor económico do jornal britânico Financial Times, avisa que a derrota do primeiro-ministro Matteo Renzi no referendo constitucional pode provocar a saída de Itália da União Económica e Monetária.
Na foto: Matteo Renzi, primeiro-ministro de Itália.

No próximo dia 5 de dezembro, a “Europa pode despertar sob a ameaça da desintegração”. A frase é do influente editor do Financial Times (FT) Wolfgang Münchau que alerta que a derrota do primeiro-ministro Matteo Renzi, no referendo constitucional de 4 de dezembro, como apontam a maioria das sondagens, pode levar à saída de Itália da zona euro.

Num artigo publicado no domingo, o jornalista sublinha que “Renzi disse que se demitiria se perdesse” o referendo e que os três principais partidos de oposição são “favoráveis à saída do euro” - o Movimento Cinco Estrelas, o Força Itália e a Liga do Norte - o que seria suficiente para os investidores concluírem “que o jogo acabou”.

Desde que o país adotou o euro, em 1999, “a produtividade total dos fatores, a parte da produção económica não explicada pelo trabalho e pelo capital, caiu em Itália cerca de 5% desde então, enquanto na Alemanha e na França aumentou cerca de 10%”.

Para além disso, entende o jornalista do FT, a imposição, por parte da UE, de políticas de austeridade, invés da “construção de uma união económica e bancária adequada após a crise da zona euro de 2010-2012” contribuiu para o incremento das posições favoráveis ao rompimento com a União Económica e Monetária.

A saída de Itália da zona euro, expectável na opinião de Münchau, “traria o maior incumprimento da história”, avisa.

“Detentores estrangeiros de dívida denominada em euros seriam pagos em contravalor de liras [italianas] (…) altamente desvalorizadas. Uma vez que os bancos não têm de manter capital contra a sua participação em títulos de dívida pública, as perdas forçariam muitos bancos europeus a entrar em falência imediata. A Alemanha perceberia então que um enorme excedente em conta-corrente também tem as suas desvantagens. Há uma grande quantidade de riqueza alemã à espera de ser vítima de incumprimento”.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)