You are here

Ismael Varanda é o candidato do Bloco à Câmara de Ovar

Na apresentação da candidatura, Ismael Varanda garantiu que lutará “pela transparência e na defesa do bem comum”. O cabeça de lista à Assembleia Municipal é o biólogo Eduardo Ferreira.
Ismael Varanda encabeça a lista do Bloco à Câmara Municipal de Ovar. Foto retirada do facebook de José Lopes.

Arquiteto de profissão, Ismael Varanda foi eleito nas últimas eleições autárquicas deputado da Assembleia da União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã, pelo Bloco de Esquerda.

O candidato, que integra a Direção do Museu de Ovar, tem participado, ativamente, em movimentos pela proteção da natureza, pela sustentabilidade, e no combate à corrupção e por uma postura exemplar na política.

O Bloco tem “um plano para o desenvolvimento sustentável de Ovar”

Durante a sua intervenção, Ismael Varanda sublinhou que “as pessoas já estão cansadas deste modelo de fazer política da direita, assente no caciquismo, na sedução das verbas para as associações, na troca de favores, nos bons negócios para os amigos”.

“A autarquia não pode ser uma coutada do Presidente da Câmara”, frisou, defendendo que “temos que dar um basta naqueles que continuam a usar os dinheiros públicos para atender a interesses privados e até particulares”.

O candidato garantiu que o Bloco lutará “pela transparência e na defesa do bem comum”: “Há um imenso desperdício dos dinheiros públicos em coisas que não trazem nenhum desenvolvimento para o concelho”, avançou, lembrando que “quando ganhou as eleições, este executivo em funções herdou um euromilhões e não sabe o que fazer dele, ou até sabe, mas não é de certeza no interesse do concelho”.

Segundo Ismael Varanda, “esta gestão autárquica desiludiu até a própria direita, o município está ao abandono, é só arena e circo”, não havendo “uma ideia, um projeto, um caminho para o desenvolvimento do concelho”.

Já o Bloco tem “um plano para o desenvolvimento sustentável de Ovar” que “assenta em quatro vetores que têm o objetivo de gerar trabalho, emprego e riqueza, e que aproveita aquilo que são as nossas potencialidades”. A ria, o mar, a barrinha, a floresta e a terra, “estas são as nossas riquezas naturais”, apontou.

O candidato bloquista avançou que a candidatura propõe a criação de um “cluster” da água, ou seja, “desenvolver todas as atividades ligadas à água”.

O segundo vetor é, segundo Ismael Varanda, “a sustentabilidade energética e alimentar”. Em causa está, por exemplo, a promoção da agricultura biológica, das hortas urbanas e da compostagem caseira, o desenvolvimento florestal, o aproveitamento dos resíduos para produção de biomassa, bem como a promoção da energia solar para todos.

O terceiro vetor da candidatura bloquista é a reabilitação: “Temos quatro anos para reabilitar os centros urbanos e em especial o centro histórico, e todos os prédios de interesse municipal”, assinalou o candidato.

Já o quarto vetor diz respeito à mobilidade, que é um "fator essencial para todo o desenvolvimento”, acrescentou Ismael Varanda. Neste âmbito, o candidato aponta como prioridades “o incremento do uso da bicicleta, todo o apoio à mobilidade ciclável inclusive elétrica, e à criação de uma linha de transporte pública, tendencialmente gratuita, circular, que interligue todos os centros das freguesias, estações de comboios, as praias e equipamentos desportivos, ligando do Torrão de Lameiro a Esmoriz, interligando todo o nosso território”.

Estas grandes linhas de ação serão, conforme referiu, “completadas com políticas que promovem a saúde a arte, a ciência e o desporto e a transparência”.

O cabeça de lista à Assembleia Municipal é Eduardo Ferreira, biólogo e residente em Esmoriz.

“É fundamental trabalhar bem, e isso só se consegue dialogando com a comunidade”

João Santos, técnico de logística industrial e candidato à Assembleia de Freguesia de Esmoriz, destacou que é “fundamental trabalhar bem, e isso só se consegue dialogando com a comunidade, acolhendo e discutindo propostas que possam ser implementadas para o bem de todos”.

O candidato afirmou que “o concelho precisa de desenvolvimento, mas de um desenvolvimento de outro tipo, com outras escolhas, e apostas firmes em atividades económicas amigas do ambiente, na produção local biológica, no ecoturismo, na cultura, na reabilitação do património, no desporto, na produção criativa, no software e no audiovisual”.

João Santos é candidato à Assembleia de Freguesia de Esmoriz. Foto retirada do facebook de José Lopes.

Preservar a história e o património cultural e social

Já Paulo Silva, comercial e candidato à União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã, destacou que o desafio que lhe foi proposto é “um desafio de redobrada responsabilidade, tendo em consideração a reconhecida intervenção dos eleitos do Bloco neste órgão autárquico, que no atual mandato vem sendo assumida pelo desempenho do Ismael Varanda, dando voz a políticas e posicionamentos partidários ao serviço das populações, que viveram durante estes quatro anos a experiência de partilharem em conjunto a mesma organização administrativa, depois de lhes ter sido imposta a polémica agregação que uniu estas freguesias”.

Segundo o candidato, “um desafio que continua a estar presente e para o qual o Bloco quer contribuir, é a preservação da história e do património cultural e social que caracterizam cada um dos território que compõem esta União de Freguesias de Ovar”.

Paulo Silva é candidato à União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira Jusã. Foto retirada do facebook de José Lopes.

 

Termos relacionados Autárquicas 2017, Política
(...)