You are here

Irlanda: Sinn Féin obtém grande vitória nas eleições legislativas

Realizaram-se eleições legislativas este sábado na República da Irlanda. Segundo as sondagens à boca das urnas, o Sinn Féin tem uma subida significativa e tem um resultado semelhante aos dois maiores partidos, Fine Gael e Finna Fáil (FF).
O Sinn Féin, liderado por Mary Lou McDonald, conseguiu apresentar-se como a alternativa progressista aos dois partidos tradicionais e defende a unificação da República da Irlanda com a Irlanda do Norte, propondo um referendo no prazo de cinco anos
O Sinn Féin, liderado por Mary Lou McDonald, conseguiu apresentar-se como a alternativa progressista aos dois partidos tradicionais e defende a unificação da República da Irlanda com a Irlanda do Norte, propondo um referendo no prazo de cinco anos

Na República da Irlanda, as urnas para a votação nas eleições legislativas encerraram este sábado às 22h e os votos estão a ser contados este domingo.

Segundo a sondagem à boca de urna, divulgada às 22h deste sábado pela televisão pública RTÉ e pelo diário The Irish Times, prevê-se um empate técnico entre Fine Gael (FG), atualmente no governo, Sinn Féin e Finna Fáil (FF). Na previsão, FG obterá 22,4%, Sinn Féin 22,3% e FF 22,2%.

Nas eleições de 2016, o Sinn Féin teve 13,8% e elegeu 22 deputados e deputadas. O FG teve então 25,5% e 47 mandatos e o FF 24,3% e 45 mandatos.

Na sua página no facebook, o Sinn Féin agradece às pessoas que votaram no partido:

Entretanto, tanto FG como FF já garantiram que não farão qualquer coligação com o Sinn Féin.

Ao longo dos últimos quatro anos, e embora a economia irlandesa tenha recuperado significativamente, a vida das pessoas continuou a agravar-se com a política de austeridade, prosseguida pelo governo do FG, tendo nomeadamente aumentado a idade da reforma para os 67 anos. Os temas principais de campanha foram a carestia da vida, os elevados preços das habitações e a deterioração da saúde pública.

O Sinn Féin, liderado por Mary Lou McDonald, conseguiu apresentar-se como a alternativa progressista aos dois partidos tradicionais e defende a unificação da República da Irlanda com a Irlanda do Norte, propondo um referendo no prazo de cinco anos.

Em artigo da Deutsche Wella, é destacado que a construção de habitações na Irlanda parou durante a crise financeira e os preços das habitações têm vindo a disparar, além de um recorde de pessoas sem casa – 12.000 em dezembro de 2019. Quanto à saúde, registou-se no último mês do ano passado um recorde histórico de superlotação hospitalar.

Nas eleições realizadas há quatro anos, em 26 de fevereiro de 2016, a Dáil Éireann (câmara de deputados, com 158 deputados) ficou com a seguinte composição: Fine Gael 47; Fianna Fail 45; SinnFéin 22; Labour 7; Solidarity People Before Profit 6; Independent Alliance 4; Partido Verde 3; Social Democratas 2; I4C 1; Aontú 1 e 18 Independentes. (dados da wikipedia)

(...)