You are here

Inquérito à Caixa: “PSD quer ajustar contas com o passado”

Catarina Martins respondeu às acusações de Rui Rio sobre a comissão de inquérito à Caixa e lembra que o PSD queria suspender os trabalhos da comissão e assim impedir o envio das suas conclusões para o Ministério Público.
Catarina Martins
Catarina Martins. Foto Paulete Matos.

Catarina Martins respondeu esta terça-feira às acusações de Rui Rio sobre a comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos, afirmando que o PSD não quer “discutir os problemas da banca”, mas “ajustar contas com o passado, porque quiseram privatizar o banco público e foram impedidos de o fazer”.

“Ouvi ontem Rui Rio dizer duas coisas extraordinárias. A primeira é que uma comissão de inquérito da Caixa tinha sido parada abruptamente no parlamento e, aparentemente, o Bloco de Esquerda teria responsabilidades nisso. Entendamo-nos: nenhuma comissão de inquérito foi parada abruptamente”, afirmou Catarina Martins  num almoço debate realizado na Associação 25 de Abril.

"O que aconteceu foi que, a determinada altura, o PSD quis suspender a comissão de inquérito, não se sabia por quanto tempo, à espera de um documento que estava em segredo de justiça e que poderia ou não chegar e o que nós dissemos é que, vindo o documento, pode-se depois fazer tudo o que for preciso, mas aquela comissão de inquérito já tinha matéria para ter conclusões. Exigimos conclusões e mandamos as conclusões para o Ministério Público”, prosseguiu Catarina, citada pela agência Lusa.

Ao tentar prolongar o funcionamento da comissão, suspendendo na prática os seus trabalhos por tempo indeterminado, a intenção do PSD "era que não houvesse conclusões nenhumas sobre as responsabilidades políticas" e dessa forma "nunca enviar ao Ministério Público o material que já existia”, acrescentou Catarina, contrapondo que “foi uma decisão correta fazer conclusões da comissão de inquérito, em vez de a deixar suspensa permanentemente".

Questionada sobre a possibilidade de uma nova comissão de inquérito à administração da Caixa, uma proposta que Rui Rio diz estar a “avaliar”, Catarina Martins afirma que a chegada de "novos dados, nomeadamente auditorias que têm sido muito debatidas” pode levar a que haja matéria para nova investigação dos deputados. "Cheguem esses novos dados e haja matéria, deve haver nova comissão de inquérito", afirmou.

Termos relacionados Política
Comentários (1)