You are here

Infarmed: Semedo questiona Rui Moreira sobre eventuais compromissos imobiliários

O líder da bancada do Bloco na Assembleia Municipal do Porto quer saber se a Câmara assumiu compromissos com agentes imobiliários no âmbito da candidatura à Agência Europeia do Medicamento, transferindo-os agora para o Infarmed.
Foto Paulete Matos.

“Algumas informações disponíveis estabelecem alguma relação entre o processo de candidatura do Porto à sede da Agência Europeia do Medicamento e a deslocação do Infarmed, nomeadamente no capítulo das instalações indicadas para a agência europeia e de compromissos, entretanto e alegadamente, assumidos com alguns agentes imobiliários”, afirma João Semedo no requerimento dirigido à Câmara do Porto.

O deputado municipal bloquista quer saber se esses compromissos existiram e se eles previam ou não, com caráter obrigatório, que as instalações tivessem outra finalidade, nomeadamente a sua utilização pelo Infarmed no caso de falhar a candidatura à agência europeia, como se veio a verificar.

O Bloco considera “indispensável” o completo esclarecimento deste processo, procurando dar a “máxima transparência ao que hoje é completamente obscuro”. E classifica o anúncio da transferência do Infarmed pelo governo como “um péssimo exemplo” do que deve ser a descentralização, por ter sido feita “de forma intempestiva e sui generis”, sem ouvir a direção e os trabalhadores do instituto nem as associações da área do medicamento.

Ler também: Mudança forçada pode colocar em causa o próprio Infarmed, alerta o Bloco

“A decisão de transferir o Infarmed para o Porto está por explicar, fundamentar e justificar, não se percebendo nem o porquê, o quê e o como desta mudança, sendo certo que o Porto tem todas as condições para albergar o Infarmed ou outros organismos públicos”, refere o grupo municipal do Bloco.

Termos relacionados Política
(...)