You are here

Iémen: Mais um hospital da MSF bombardeado pela coligação saudita

A coligação liderada pela Arábia Saudita bombardeou mais um hospital da Médicos Sem Fronteiras (MSF), em Abs no norte do Iémen, provocando, pelo menos, onze mortos e 19 feridos. “Foi o quarto ataque contra uma instalação médica de MSF em menos de 12 meses”, segundo a ONG.
Hospital bombardeado pela coligação liderada pela Arábia Saudita - Foto MSF
Hospital bombardeado pela coligação liderada pela Arábia Saudita - Foto MSF

Pelo menos 11 pessoas morreram e outras 19 ficaram feridas num bombardeamento realizado nesta segunda-feira, 15 de agosto, pela coligação militar liderada pela Arábia Saudita contra um hospital de campanha da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) no noroeste do Iémen, na cidade de Abs.

A MSF “confirma que o hospital de Abs foi atingido por ataques aéreos hoje às 15:45 na hora local [9:45 em Brasília]”, escreveu a organização no seu perfil no Twitter.

Malak Shaher, porta-voz da MSF, confirmou o ataque à AFP e disse que a MSF opera o hospital desde 2015.

Uma das testemunhas do ataque, Mustafa Mohammed, disse à Agência Efe que dois terços do hospital, situado na cidade de Abs, ficaram destruídos e que os feridos estão a receber atendimento de urgência na parte que ficou de pé e está operacional.

Moradores de Abs disseram à AFP que jactos da coligação, que têm atacado alvos militares na cidade nos últimos dias, bombardearam o hospital.

“Foi o quarto ataque contra uma instalação médica de MSF em menos de 12 meses”, disse Teresa Sacristóval, gestora da Unidade de Emergência da organização no Iémen. “Mesmo com a recente resolução das Nações Unidas que pediu o fim dos ataques a instalações médicas e com as declarações de altos dirigentes de compromisso com o Direito Internacional Humanitário, nada parece ser feito para que as partes envolvidas no conflito no Iémen respeitem os profissionais de saúde e os pacientes. Sem uma ação efetiva, esses gestos públicos são inúteis para as vítimas de hoje. Sendo algo intencional ou resultado de negligência, isso é inaceitável”, afirmou a gestora.

No sábado, a MSF acusou a coligação árabe de atacar uma escola em Saada, outra província controlada por milícias houthis no norte do Iémen, matando 10 crianças. A coligação nega ter atacado uma escola, mas diz que o alvo era um campo militar onde houthis insurgentes treinam soldados adolescentes.

Abs fica na província de Hashah, localizada cerca de 130 quilómetros ao noroeste da capital, Sana, e a 65 quilómetros da fronteira com a Arábia Saudita.

A coligação militar liderada pela Arábia Saudita e integrada por países muçulmanos sunitas realiza uma intervenção no Iémen contra os houthis insurgentes (xiitas) desde março de 2015, quando estes expulsaram o presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi do país.

Artigo publicado por Opera Mundi

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)