You are here

Hollande castigado com pesada derrota eleitoral

O Partido Socialista francês foi fortemente punido na segunda volta das eleições municipais francesas, sofrendo penosas derrotas em diversos bastiões históricos. Oposição de esquerda ao hollandismo sai reforçada.
Segundo as projeções mais recentes, as listas do PS obtiveram cerca de 42% dos votos, enquanto a União por um Movimento Popular (UMP) e os seus aliados 49%.

O presidente francês François Hollande e as suas políticas de austeridade foram duramente castigadas na segunda volta das eleições municipais deste domingo. Para o seu partido em particular foi um descalabro. O PS perdeu inúmeras cidades, entre elas vários bastiões históricos como Saint-Étienne, Reims, Limoges ou Amiens.

“Esta derrota é ainda mais forte devido ao sectarismo que o PS demonstrou, recusando qualquer aliança com as nossas listas para bloquear a direita e a extrema-direita. Foram este tipo de alianças que ajudaram a ganhar ou manter Avignon, Rennes, Cherbourg ou Gueret. Por outro lado, aqueles que rejeitaram o nosso convite foram punidos em Toulouse, Brive ou Caen”, refere o comunicado do Parti de Gauche (PG) do ex-candidato presidencial Jean-Luc Melénchon.

Segundo as projeções mais recentes, as listas do PS obtiveram cerca de 42% dos votos, enquanto a União por um Movimento Popular (UMP) e os seus aliados 49%. "O primeiro partido de França é a UMP", proclamou o presidente em funções Jean-François Copé.

Em Paris, a candidata socialista, Anne Hidalgo venceu com 54,5% dos votos contra os 45,5% da candidata da direita, Nathalie Kosciusko-Morizet.

A Frente Nacional de Marine Le Pen conquistou no total dez municípios: Fréjus, Béziers, Hayange, Beaucaire, Villers-Cotterêts, Le Luc, Cogolin, Mantes-la-Ville et Le Pontet. Apesar da extrema-direita cantar vitória, o resultado eleitoral ficou longe do professado pela comunicação social nos últimos dias. De modo geral, o eleitorado da Frente Nacional votou massivamente na UMP.

A esquerda que se tem oposto às políticas de austeridade de Hollande não sofre com a derrota do Partido Socialista. Muito pelo contrário, conquistou cidades importantes como Grenoble ou Lyon 1. A maioria das listas da Frente de Esquerda confirmaram os resultados da primeira volta ou aumentaram a sua votação, como foi o caso de Nimes, onde a aliança alargada aos Verdes ficou à frente do PS. 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)