You are here

Greve nos bares dos comboios há cinco dias

Nesta segunda-feira, os trabalhadores da Servirail prosseguiram a paralisação com grande adesão. A luta é por aumentos de salários e defesa de direitos, que a empresa quer retirar. Segundo o sindicato, a CP está a pagar à Servirail o serviço que não está a ser prestado.
Comboios circulam sem serviço de refeições – Foto CGTP
Comboios circulam sem serviço de refeições – Foto CGTP

Trabalhadoras e trabalhadores da Servirail, do serviço de refeições dos bares dos comboios Internacional, Alfa Pendular e Intercidades, estão em greve há cinco dias. A paralisação teve início na passada quinta-feira, 28 de junho, às zero horas.

Segundo o sindicato dos trabalhadores da indústria de hotelaria, turismo, restaurantes e similares do Norte (CGTP), os comboios estão a circular sem serviço de refeições e a adesão à greve é de quase cem por cento, estando a trabalhar apenas uma “trabalhadora precária, contratada através de uma empresa de trabalho temporário”.

A luta é por aumentos de salários: a proposta sindical é de aumento de 24,5 euros mínimos, enquanto a empresa apenas quer dar 9 euros, um aumento que não repõe sequer a perda de poder de compra.

A paralisação é também em defesa de direitos, nomeadamente pelo pagamento do trabalho suplementar sem cortes e por “dois dias de descanso semanal ao fim de 4 dias de trabalho para os trabalhadores do armazém de Lisboa, equiparando-os aos do armazém do Porto”.

Segundo o sindicato, a CP está a pagar à Servirail o serviço que não está a ser pago e não estão a ser aplicadas as multas devidas à não prestação do serviço.

Termos relacionados Sociedade
(...)