You are here

Greve dos trabalhadores da SONAE teve adesão massiva

Os trabalhadores da SONAE Logística no Pólo da Maia avançaram com a radicalização do protesto por aumentos salariais, progressão na carreira e desbloqueio das negociações da contratação coletiva.

Entre as 23h da noite de 23 de fevereiro e as 2 da manhã de dia 25, os trabalhadores da Sonae Logística no Pólo da Maia e Azambuja promoveram uma paralisação como forma de luta pela defesa dos seus direitos. Logo no turno da noite de 25, a adesão rondou os 80%, tendo-se mantido pelos 75% no turno da manhã.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, os trabalhadores reclamam aumentos salariais e progressão na carreira. Exigem ainda que a empresa, que continua a manter trabalhadores com vários anos de casa a salários próximos do ordenado mínimo, responda às suas reivindicações.

À habitual concentração e desfile nas imediações desta empresa, os trabalhadores presentes na sexta-feira de manhã somaram uma interrupção temporária da entrada e saída de veículos entre as 9h e as 9h30. Esta opção paralisou toda a empresa até por volta das 10h30 com a Via Norte, principal via de acesso à zona industrial da Maia, bloqueada numa extensão superior a 2km e os meios de comunicação social e a PSP (chamada a intervir para desbloquear o trânsito) ficaram retidos no congestionamento provocado pela paralisação na entrada de veículos no edifício do Grupo SONAE.

O resultado desta radicalização do processo de luta surtiu efeitos, tendo havido uma reunião de emergência entre a direção dos recursos humanos e os representantes dos trabalhadores, em que os primeiros se comprometeram com a análise e resposta ao caderno reivindicativo, assim como avançar com uma proposta na APED (associação patronal) no sentido de desbloquear o processo negocial do contrato coletivo dos trabalhadores do setor. Para tratar desta questão, haverá uma reunião a 9 de março, sendo que, desde o início de 2017, a APED suspendeu quatro reuniões de negociação do contrato coletivo de trabalho.

A manhã de sexta-feira ficou assim marcada por um avanço nas reivindicações destes trabalhadores, que têm vindo a intensificar os seus processos de luta por salários dignos num grupo que fatura milhões. Caso não sejam respeitados o caderno reivindicativo e o contrato coletivo de trabalho, os trabalhadores comprometem-se a encetar novas ações de luta.

Reportagem Greve SONAE Logística | ESQUERDA.NET

Termos relacionados Sociedade
(...)