You are here

Greve dos precários do Centro Hospitalar do Oeste prossegue com grande adesão

O segundo dia de greve dos trabalhadores precários do Centro Hospitalar do Oeste conta com adesão total nos hospitais das Caldas da Rainha e Peniche e 40% de adesão no hospital de Torres Vedras.
Foto Movimento de Precarios do CHO/Facebook

O protesto dos precários pela aplicação imediata das 35 horas conta esta quarta-feira com uma concentração em frente ao hospital de Torres Vedras às 14h e um plenário ao fm da tarde, após a reunião marcada com o Conselho de Administração do CHO e a Lowmargin, a empresa à qual estão ligados como prestadores de serviços.

Em comunicado publicado na sua página do Facebbok, o grupo de trabalhadores declarou-se satisfeito com o nível de adesão à paralisação que teve início na terça-feira. “Num hospital trabalham-se 24 horas por dia e estes níveis de adesão já estão garantidos para as primeiras 40 horas de greve. Uma dimensão equivalente a 5 dias de greve consecutivos comparado com uma entidade que funcione as habituais 8 horas diárias”, assinalam.

“Não lutamos apenas pelos nossos direitos como trabalhadores, exigimos respeito pelo nosso trabalho e pelos utentes. Acabar com a precariedade é também melhorar a qualidade dos serviços de saúde. Só com estabilidade, formação e progressão na carreira conseguimos garantir os serviços que os nossos utentes merecem”, referem os precários do CHO.

Na terça-feira, os trabalhadores em greve receberam a visita do deputado bloquista Heitor de Sousa, que deu os “parabéns aos trabalhadores e às trabalhadoras pela organização e capacidade de luta”e defendeu que“o Estado tem de dar o exemplo”, pois a “precariedade no Estado é totalmente inadmissível”.

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Sociedade
(...)