You are here

Greve climática estudantil em vésperas da visita de Greta Thunberg a Portugal

Esta sexta-feira, realiza-se a quarta greve climática estudantil em Portugal. Estão previstas greves em cinco cidades e ações noutras três. Ativistas apelam à mobilização para Madrid, por ocasião da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019.
Greve climática estudantil em vésperas da visita de Greta Thunberg a Portugal
Foto de Paula Nunes.

A quarta greve climática estudantil em Portugal tem lugar amanhã e está inserida na iniciativa Fridays for Future. O principal objetivo da greve de amanhã passa pela mobilização dos jovens para participar na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25).

Em declarações à agência Lusa, Alice Gato assumiu que esta quarta edição foi anunciada “em cima da hora”, mas esclarece que o principal objetivo passa por mobilizar pessoas para a iniciativa em Madrid.

“A greve foi anunciada um pouco em cima da hora, mas esperamos a presença de muita gente. No entanto, o principal agora não é o número de pessoas presentes, mas conseguir mobilizar o máximo de gente possível para a COP25”, que começa na próxima semana, contou Alice Gato.

Estão confirmadas greves em Lisboa, Porto, Coimbra e Faro, no continente, e em Santa Maria, nos Açores. Paralelamente, existirão ações em Penafiel, Évora e Caldas da Rainha.

A iniciativa em Portugal irá decorrer dias antes da ativista sueca Greta Thunberg chegar a Lisboa, onde será recebida na Assembleia da República.

“Desta vez tivemos menos tempo para preparar uma greve e por isso vamos aderir à de Lisboa”, contou à Lusa Inês Aleixo, defendendo que o anúncio da vinda a Portugal de Greta Thunberg “poderá mobilizar mais pessoas”. Inês Aleixo é uma jovem ativista que no passado colaborou na organização da greve climática estudantil em Leiria, mas que agora está a ajudar na mobilização até Lisboa.

Os ativistas estudantis em Portugal exigem o encerramento das centrais de carvão, a paragem de quaisquer novos projetos que aumentem as emissões a nível nacional e a neutralidade de carbono em 2030.

A data da visita de Greta Thunberg ao Parlamento português ainda não é certa, uma vez que a jovem viaja até à Europa de veleiro. O seu destino é a Cimeira das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas, em Madrid, depois de ter sido cancelada no Chile devido ao clima de revolta popular que se vive nesse país. Antes passará ainda por Lisboa.

Na véspera da greve climática estudantil, o Parlamento Europeu aprovou o estado de Emergência Climática com os votos a favor da Esquerda Verde, Verdes/ALE, Socialistas e Liberais e os votos contra da direita, conservadores e extrema-direita.

Termos relacionados Greve climática estudantil, Ambiente
(...)