You are here

Futuro de Assad compromete conversações de paz

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Síria disse que não aceita "pressões" sobre o futuro do presidente Bashar al-Assad.
Para o ministro dos Negócios Estrangeiros da Síria, o futuro de Assad é uma "linha vermelha" que não pode ser ultrapassada.

O enviado das Nações Unidas, Staffan de Mistura, já disse que as conversações devem incluir pontos como a formação de um novo governo, revisão constitucional e realização de eleições presidenciais e parlamentares, sob os auspícios da ONU, dentro de 18 meses. O regime sírio e os grupos armados da oposição aceitaram o cessar-fogo promovido pelos Estados Unidos e Rússia e que começou no passado dia 27 de fevereiro apesar das acusações mútuas que indicam que as tréguas têm sido violadas.

Conversações sob tensão

O responsável da diplomacia síria, Walid Muallem, afirmou, numa conferência de imprensa em Damasco, que a delegação governamental que vai estar presente em Genebra esta segunda-feira não vai aguardar mais do que 24 horas pela presença "da oposição", tendo acrescentado que  "o governo de Damasco recusa discutir o futuro do presidente Bashar al-Assad".
A principal plataforma da oposição, o Alto-Comité Negocial (HNC, na sigla inglesa), com base em Riade, tem pedido reiteradamente o afastamento de Assad como ponto de partida para o "período de transição".

"Se continuarem com este tipo de abordagem não vale a pena irem a Genebra", sublinhou Muallem. A última ronda negocial, mediada pelas Nações Unidas em Genebra, entre o governo e o HNC foi interrompida em fevereiro, porque a delegação do HNC desembarcou na Suíça 36 horas após a chegada dos representantes do governo sírio e demorou dois dias antes de comparecer nas instalações das Nações Unidas.

O ministro dos Negócios Estrangeiros sírio acusou o HNC de "ter passado a última ronda negocial em hotéis" apelando para que desta vez se dirigiam imediatamente às Nações Unidas. O governo e o HNC concordaram, entretanto, em reiniciar uma ronda de contactos indiretos em Genebra.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)