You are here

Extrema-direita provoca imigrantes e Livre

Um membro do partido de extrema-direita PNR foi detido por provocar a manifestação de imigrantes deste domingo. Em seguida, tentaram interromper uma sessão pública na sede do partido Livre, em Lisboa.
José Pinto Coelho na provocação do PNR aos imigrantes.
José Pinto Coelho, líder do PNR, esteve envolvido nas provocações deste domingo. Foto António Cotrim/Lusa

A polícia foi chamada ao local e a sessão sobre as eleições norte-americanas na sede do Livre não chegou a ser interrompida pelas cerca de 20 pessoas que gritavam insultos no exterior, afastando-se em seguida para um café a poucos metros da sede. “Portugal é uma democracia de que a liberdade de expressão é fundamento e do qual nunca abdicaremos”, afirmou o partido no Twitter.

Antes desta provocação ao partido Livre, o PNR quis provocar a manifestação de imigrantes em luta contra o atraso na entrega de documentos. A polícia separou-os da manifestação convocada pelas associações de imigrantes e deteve um elemento do cortejo fascista por insistir em furar o cordão policial.

Ainda durante a manifestação, um grupo de cinco cabeças-rapadas agrediu dois cidadãos espanhóis que passavam pelo local, um deles com uma t-shirt alusiva aos Panteras Negras. Segundo o jornal SOL, que falou com os agredidos, o grupo agressor fugiu de imediato e não chegou a ser identificado pela polícia.

As provocações da extrema-direita seguem-se à operação policial que teve como alvo o grupo Hammerskins, ao qual foram apreendidas armas e estupefacientes, e que para além dos crimes de ódio e discriminação racial, se dedicam à segurança ilegal, extorsão e tráfico de drogas. Todos os elementos detidos, incluindo um guarda prisional, foram libertados sob termo de identidade e residência.

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
Comentários (1)