You are here

EUA multam BMW em 15 milhões de euros por inflacionar vendas

O objetivo da sucursal norte-americana do grupo alemão seria atrair investimento nos EUA na época de emissões de títulos. A prática terá ocorrido entre 2015 e 2019, e sucede-se ao escândalo Dieselgate que incluiu a marca alemã. 
Este é mais um caso de práticas ilegais que a indústria automóvel alemã pratica.
Este é mais um caso de práticas ilegais que a indústria automóvel alemã pratica. Foto de John Hietter/Flickr.

A Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos da América multou a fabricante automóvel alemã com uma multa de 18 milhões de dólares (15,4 milhões de euros), por ter inflacionado artificialmente as vendas para atrair investidores.

Concretamente, a subsidiária da BMW nos Estados Unidos foi acusada de fornecer informações falsas e enganosas para influenciar a época de emissão de títulos, entre 2015 e 2019.  

A empresa divulgou vendas de veículos fictícios, ajustando as vendas realizadas em 2015 e 2017, noticia a Agência Lusa. 

Este é mais um caso de práticas ilegais que a indústria automóvel alemã pratica. Em

2015, a BMW foi implicada no escândalo Dieselgate, juntamente com a Volkswagen, Seat, Audi, Nissan, Renault, Mercedez-Bens e outras.

No comunicado público da Comissão de Títulos e Câmbios dos EUA, que avançou com a acusação, pode ler-se que “as empresas que usam os mercados dos EUA para aumentos de capital têm a obrigação de fornecer aos investidores informações confiáveis”.

“Por meio da disseminação repetida de informações fraudulentas, a BMW enganou os investidores sobre as suas vendas nos Estados Unidos e sobre a procura dos clientes de veículos BMW no mercado americano, enquanto levantava capital nos Estados Unidos”, explicam.

Termos relacionados Internacional
(...)