You are here

Estivadores regressam à luta

O SEAL entregou um pré-aviso de greve com a duração de cerca de seis meses. Os estivadores queixam-se de “práticas anti-sindicais” e de problemas laborais nos portos das ilhas.
Foto do SEAL

O Sindicato dos Estivadores e da Actividade Logística (SEAL) entregou um pré-aviso de greve que abrange todos os portos nacionais e que vai desde o dia 16 de Janeiro até ao dia 1 de Julho deste ano.

As “práticas anti-sindicais” são o problema agora identificado pelo sindicato e o Porto do Caniçal, no Funchal, o seu epicentro. Segundo o SEAL, o pré-aviso abrange todos os portos de forma a evitar que se desviem as descargas que é suposto acontecerem no porto do Funchal ou no Porto da Praia da Vitória, na ilha Terceira.

Entretanto também continua em 2019 a greve dos estivadores às horas extraordinárias.

No pré-aviso, o SEAL avança: "enquanto aguardamos a satisfação dos compromissos assumidos no momento da assinatura do acordo relativo ao porto de Setúbal (...) verificamos que não se encontram minimamente satisfeitas as garantias de resolução dos problemas assinalados nos restantes portos nacionais, especialmente no porto do Caniçal, as quais faziam parte integrante desse acordo, o que nos obriga à declaração de novo pré-aviso de greve, o qual inclui medidas relativas a questões laborais no porto de Praia da Vitória”.

Termos relacionados Sociedade
(...)