You are here

Estivadores de Setúbal aprovam acordo para integrar precários

O plenário dos estivadores de Setúbal deu luz verde para o acordo que põe fim à greve e permitirá integrar 56 dos 93 precários, abrindo portas à aprovação de um Contrato Coletivo de Trabalho no prazo de 75 dias.
Plenário dos estivadores de Setúbal deu luz verde ao acordo negociado pelo SEAL e os operadores portuários, com mediação do governo. Foto SEAL.

"Queremos deixar uma palavra de apreço à equipa de mediação pelo trabalho realizado, que foi importante para chegarmos a este acordo que significa o fim da precariedade no porto de Setúbal, e que também abre caminho à resolução dos problemas noutros portos nacionais”, afirmou António Mariano, dirigente do Sindicato dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL).

A greve dos estivadores de Setúbal afetou a atividade daquele porto nas últimas semanas e chamou a atenção do país para a situação de precariedade extrema em que vive a esmagadora maioria daqueles trabalhadores.

A reivindicação da integração de 56 dos 93 estivadores precários nos quadros dos operadores portuários foi aceite pelos operadores e o acordo alcançado permite ainda iniciar a negociação de um Contrato Coletivo de Trabalho, a ser aprovado num prazo de 75 dias após a assinatura do acordo.

Para além da greve dos estivadores precários em Setúbal, a luta destes profissionais estende-se a outros portos do país. O SEAL diz ter o compromisso da equipa de mediação do governo de que os problemas nos portos de Leixões, Lisboa e Caniçal, na Madeira, serão resolvidos no prazo de uma semana.

Para esta noite está marcado um arraial popular dos estivadores precários de Setúbal, com artistas convidados e com as receitas a reverterem para o Fundo de Solidariedade com os Estivadores Precários do Porto de Setúbal.

 

Termos relacionados Sociedade
(...)