You are here

Esquerda turca lança apelo contra o cerco a Silvan

O clima de terror imposto pelo governo turco às zonas de maioria curda culminou num cerco militar em curso na cidade de Silvan, no sudeste do país. Na véspera da reunião do G20 em Ancara, o partido HDP fez um apelo internacional para o levantamento do cerco e o respeito pelos direitos humanos no país.
Prosseguem as campanhas contra a repressão do regime de Erdogan.

As eleições do início de novembro deram a maioria ao partido de Erdogan mas não travaram o clima de terror imposto à população curda no território. Apesar dos atentados terroristas mortíferos e da ação militar do governo contra os curdos, o HDP conseguiu manter a representação parlamentar com mais de 10% dos votos, atingindo maiorias em torno de 80% no leste do país.

Logo após as eleições, o governo deu ordens para iniciar um cerco e ocupação de vários bairros residenciais da cidade de Silvan, estabelecendo um recolher obrigatório total nessas zonas. As pessoas não podem sair de suas casas e os que arriscam são alvo dos snipers instalados no topo dos edifícios. Os militares patrulham as ruas com blindados e os tanques colocados nas zonas altas bombardeiam algumas casas, a par dos helicópteros.

Ziya Pir, deputado do HDP, deu o seu testemunho sobre a situação em Silvan: “Eles estão a disparar indiscriminadamente sobre as pessoas. Soldados, polícias e gente à paisana, disparam rajadas de metralhadora aos prédios de alto a baixo. Não podemos entrar nesses bairros”.

“A informação que temos é que as pessoas se juntaram em grupos de 10 ou 15 nas caves dos prédios. Ninguém pode ir lá fora, porque os snipers no cimo dos edifícios abrem fogo. Se virem uma sombra ou um sinal de vida dentro de uma casa, disparam logo. Nas operações anteriores havia por vezes intervalos de algumas horas. Mas agora há tiros constantes sem cessar”, diz o deputado do HDP citado pelo site do partido que é maioritário nas zonas sob ataque.

Enquanto procede ao massacre desta população, a Turquia vai receber nos dias 15 e 16 de novembro uma reunião do G20 em Ancara, uma oportunidade para o regime de Erdogan afirmar a sua credibilidade internacional.

A indiferença dos governos participantes sobre o que se passa nas zonas de maioria curda no país levou o HDP a lançar uma campanha internacional a apelar a todos para que escrevam ao ministro dos Negócios Estrangeiros, Feridun Hadi Sinirlioğlu, com palavras a favor do levantamento do cerco a Silvan e pelo respeito pelos direitos humanos, permitindo a entrada de observadores internacionais independentes nos bairros debaixo de fogo.

Pode deixar o seu comentário no site do Ministério e enviar uma cópia para a campanha de solidariedade através do email [email protected].

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Internacional
(...)