You are here

Deputados querem explicações sobre desalojamentos do Bairro 6 de Maio

As demolições promovidas pela Câmara da Amadora foram o tema da audição do coletivo Habita no grupo de trabalho parlamentar sobre habitação.
Demolições no Bairro 6 de Maio
Desalojados do Bairro 6 de Maio exigem que o governo ponha fim aos despejos. Foto de esquerda.net

O grupo de trabalho parlamentar sobre habitação, coordenado pela deputada Helena Roseta, ouviu o coletivo Habita sobre os desalojamentos de dezenas de famílias no Bairro 6 de Maio, promovidos pela Câmara da Amadora.

Segundo a agência Lusa, a deputada afirmou ser importante conseguir que as demolições previstas não avancem em janeiro e pôs em marcha diligências para ouvir as entidades envolvidas no processo. Assim, o parlamento quer ouvir a Câmara da Amadora, Instituto da Segurança Social (ISS), Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) e o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, que tutela a pasta da Habitação.

O deputado bloquista Pedro Soares, que também integra este grupo de trabalho, defendeu que “faz todo o sentido” agendar estas audições e “tentar arranjar uma solução” para o problema dos moradores deste bairro da Amadora. “O que faria sentido era a reabertura do PER”, declarou o deputado bloquista, referindo-se ao programa de realojamentos lançado em 1993 para erradicar as barracas e realojar moradores em casas com condições.

As famílias desalojadas nos últimos meses do Bairro 6 de Maio ainda esperam por uma solução definitiva que garanta o direito à habitação, e deslocaram-se por várias vezes ao ministérios do Ambiente e da Segurança Social no sentido de encontrar uma solução. Mas a resposta do governo tem sido empurrar o problema para a autarquia, que continua a defender que não lhe cabe assegurar essa solução, por essas famílias estarem excluídas do PER.

 

Artigos relacionados: 

Termos relacionados Política
(...)